Archive for fevereiro \29\UTC 2008|Monthly archive page

Neta de Tarsila do Amaral lança livro infantil

Cavalos são mesmo animais fascinantes. Capazes de conquistar qualquer um pela beleza inigualável, formas e movimento, os cavalos vêm cativando e despertando interesse por um número cada vez maior de crianças e veteranos. Movidas pela paixão por esse animal, as autoras Tarsila do Amaral, Ruth Mangels e Patrícia Secco resolveram escrever o livro infantil “As aventuras de Aninha e Pampa”, que será lançado neste sábado, 1 de março, na livraria Kids Books, em São Paulo.

O livro conta a história de Aninha, uma menina apaixonada por cavalos, que descobre um mundo de fantasias e aventuras por meio do seu brinquedo favorito: um cavalinho de pelúcia chamado Pampa. Entretanto, a menina guarda um segredo que só ela sabe. Nos seus sonhos, o bichinho de pelúcia virava um cavalo de verdade e, juntos, eles conversavam muito e se divertiam bastante.

As aventuras de Aninha e Pampa é um livro contagiante, que envolve sonhos, brincadeiras e, principalmente, fala do amor das crianças pelos cavalos. Além disso, o livro dá dicas de como montar, ensina o nome dos equipamentos, os tipos de pelagem dos animais e dos cuidados que devemos ter para proporcionar aos bichinhos uma vida mais agradável.

Sobre as autoras

Tarsila do Amaral é sobrinha neta da famosa pintora modernista Tarsila do Amaral, e, entre uma palestra e outra, consegue escrever. É também autora do livro “Tarsila por Tarsila”, uma biografia familiar da maior pintora brasileira, lançado pela editora Ridel. Tarsila é considerada uma das grandes expoentes do hipismo nacional e, além de acumular diversos títulos no esporte, dedica-se aos seus alunos na Sociedade Hípica Paulista e no Haras Abapuru, onde também cria cavalos.

Ruth Mangels é outro expoente do hipismo nacional e, depois de ter recebido inúmeros títulos, deixou de competir para ensinar adultos, jovens e crianças. Suas aulas acontecem no Clube de Campo São Paulo, na Sociedade Hípica Paulista e no Haras Abapuru.

Patrícia Secco é escritora infantil e, apesar de amar os cavalos, nunca competiu em alto nível como a Tarsila e Ruth. Aliás, teve muitos anos de aulas com a Tarsila e com a mãe da Ruth. Possui atualmente cerca de 200 livros escritos, editados e, em sua grande maioria, distribuídos gratuitamente por todo o Brasil, pois, é responsável por um grande programa de incentivo ao hábito da leitura.

Serviço:
O que: Lançamento do livro “As Aventuras de Aninha e Pampa”
Quando: 01 de março de 2008, sábado, das 11h às 12h
Onde: Kids Books – Rua Dr. Melo Alves, 436 , Jardins- (11)3064 7019 – São Paulo SP

E! estréia série que acompanha a rotina familiar da picante socialite Kim Kardashian

Modelo, atriz, cantora, empresária, socialite e amiga de Paris Hilton, a norte-americana Kim Kardashian é a estrela principal de Keeping Up With the Kardashians, nova série que E! Entertainment Television estréia no dia 5/3, quarta-feira, às 22h30. Famosa depois de vídeos caseiros que a mostram em cenas quentes – a exemplo de sua amiga mais célebre –, Kim tem sua vida, bem como a de sua enorme família, acompanhada pelas câmeras indiscretas do canal.
Em seis episódios, a série segue o dia-a-dia da musa e revela que a vida de socialite não é tão fácil assim. De descendência armênia, alemã e irlandesa, Kim tem 27 anos e é filha de Robert Kardashian, advogado que defendeu O.J. Simpson até sua prisão, morto em 2003. Hoje, ela vive com as irmãs Kourtney e Khloe, a mãe Kris e seu novo marido, Bruce, além dos filhos do casal, Kendall e Kylie.

Obra-prima dos quadrinhos modernos traz família assombrada pela epilepsia

Muitas vezes, quando se lê uma resenha sobre uma graphic novel qualquer, é comum o leitor deparar-se com adjetivos como “cinematográfica” ou “literária”, tentando aproximar os quadrinhos de outras formas de arte ditas “mais nobres”. Porém, assim como a melhor literatura e o melhor cinema, Epiléptico do francês David B., é uma obra que não poderia ser transposta para outros meios – pertence exclusivamente aos quadrinhos. Com uma narrativa seqüencial entre os sonhos e a realidade, David B. criou, nas palavras do escritor norte-americano Rick Moody (Tempestade de Gelo), “uma história intelectual gráfica (…) um ‘romance de formação’ influenciado tanto por Gide, Foucault, Marlaux e Barthes quanto por Spiegelman”.

David B. (pseudônimo de Pierre-François Beauchard) teve uma infância, até certo ponto, normal. Nascido em 9 de fevereiro de 1959 em Nîmes, uma pequena cidade próxima a Órleans, brincava com seus irmãos e vizinhos – amarrar sua irmã na cadeira como se queimasse Joana D´Arc é um dos divertimentos favoritos de Pierre e seu irmão mais velho, Jean-Christophe.

Porém essa paz é quebrada pela chegada do “haut mal” – termo coloquial francês para epilepsia. Jean-Christophe sofre seu primeiro ataque, e a doença começa a afetar toda a família. Enquanto a saúde do irmão mais velho começa a deteriorar, os pais arrastam toda a família Europa afora, por uma década, em busca de uma cura para a doença. Decepcionados com as saídas da medicina normal, decidem procurar saídas alternativas, das dietas macrobióticas aos templos Rosacruz. Porém de nada adianta, e a família entra numa espiral, arrastada pela evolução da epilepsia de Jean-Christophe – tudo representado graficamente no engenhoso traço de David B. Epiléptico é repleto de metáforas visuais – a epilepsia é retratada, inicialmente, como uma espécie de dragão chinês com o corpo infinito, e quando Pierre, mais velho, começa a compreender melhor a natureza das convulsões do seu irmão, o monstro transforma-se em um aspecto do próprio Jean-Christophe.

David B. explora a linguagem dos quadrinhos com maestria para retratar uma família despedaçada, traduzindo em imagens a angústia, medo e dor – um retrato que, apesar de surreal, é absolutamente fiel a uma infância onde a imaginação transforma-se em delírio, protegendo a sanidade de um garoto de cinco anos arrastado para um cotidiano turbulento e inacessível.

O Autor

David B. é um dos fundadores da L’Association, editora criada por um grupo de quadrinhistas alternativos (entre eles Cristophe Blain e Frédéric Boilet) que revolucionou o panorama dos quadrinhos franco-belgas no início dos anos 90. Nessa época, David ganhou notoriedade com histórias curtas sobre sonhos e pesadelos, compiladas nos álbuns Lê Cheval Blême e Les Incidents de la Nuit. Em 1996 deu início à publicação de Epiléptico, obra que lhe rendeu reconhecimento internacional e um prêmio de melhor roteiro no Festival de Angoulême em 2000. Em 2005, recebeu o prêmio Ignatz como Artista Destaque.

Trecho de Epiléptico:
http://www.lojaconrad.com.br/trecho/epileptico_1_p1.asp

Título:
Epiléptico – Volume 2
Autor:
David B.
Tradutor:
Idalina Lopes
Preço:
R$ 44,90
Número de páginas:
208 páginas

Participe do documentário sobre Calvin & Haroldo

Bill Waterson parou de publicar suas tiras de Calvin & Haroldo há mais de dez anos, mas a fama da dupla mais divertida dos quadrinhos não pára de crescer – no Brasil, os álbuns de Calvin são freqüentadores assíduos das listas de livros mais vendidos. Nos EUA, terra natal de Waterson e de Calvin, começa a ser rodado o documentário Dear Mr. Waterson. A idéia dos produtores do filme é mostrar a gigantesca influência que Calvin & Haroldo têm em seus fãs ao redor do mundo. Todo fã da tirinha de Waterson tem a chance de participar do filme – começando a partir da página do filme no site Facebook.

Philippe Jugnet expõe no Brasil

Artista plástico franco-marroquino Philippe Jugnet exibe suas telas figuralistas na Aliança Francesa da Barra até 15 de março

Le Figuralisme é o nome da exposição que o artista plástico franco-marroquino Philippe Jugnet apresenta na Aliança Francesa da Barra da Tijuca. São 15 obras, com diversas técnicas e sobre diferentes suportes, criadas nos últimos anos e que seguem o movimento Figuralista. A mostra fica em cartaz até 15 de março na Barra e depois percorre as unidades de Ipanema (de 19 de março a 5 de abril), Tijuca (de 20 a 31 de maio) e Campo Grande (de 10 a 20 de junho).

SOBRE O ARTISTA

De origem multiétnica — sua mãe é argelina com ascendência espanhola e o pai, francês de Versalhes — e de alma nômade, sua trajetória artística foi marcada por encontros com Andy Warol, Jean Michel Basquiat, César Baldaccini e Araken Vaz Galvão. Iniciado à arte muito jovem, Jugnet revelou-se um desenhista e caricaturista precoce. Admirado, seu avô paterno, colecionador de artes e amigo de vários pintores, confia o neto, na época com apenas cinco anos, ao neo-impressionista Batochet, freqüentador do ateliê de Monet, em Giverny, entre 1919 a 1926. Pouco tempo depois, estuda por sete anos com o Professor Moï, que o introduz às técnicas acadêmicas e o ensina, ao contrário do que pregava Batochet, que a pintura é um puro exercício de liberdade.

Le Figuralisme
Exposição de 15 telas do artista plástico franco-marroquino Philippe Jugnet
Visitação: de segunda a sexta-feira, de 8h às 20. Até 15 de março
Local: Aliança Francesa da Barra da Tijuca.
Av. Érico Veríssimo 805. Tels.: 2492 2660 / 1497
Entrada Franca. Classificação etária: livre

Quer bater uma bola com o pessoal do Iron Maiden?

No próximo sábado (01/03), a banda Iron Maiden troca os coturnos por chuteiras e encara uma partida de futebol bem brasileira em São Paulo. E o site de relacionamentos MySpace Brasil e a gravadora EMI fizeram uma promoção que coloca os vencedores no jogo.

Para participar, visite http://br.myspace.com/novidades_brasil

Fergie no Brasil

A cantora Fergie, que ficou mundialmente famosa como integrante do Black Eyed Peas, fará sua primeira apresentação solo no Brasil. Fergie já esteve o país anteriormente junto com os companheiros de grupo. O show está agendado para o dia 13 de março, uma quinta-feira, na casa de shows Via Funchal, em São Paulo.

O show faz parte dos eventos de promoção e divulgação de um novo modelo de celular que chega ao mercado em parceria da fabricante Motorola e da operadora Claro. Fergie é a garota-propaganda do lançamento.

Por enquanto não foram divulgados os preços dos ingressos.

Espaço Unibanco inicia comemoração de quinze anos com filme a R$5

Cidadão Kane abre a programação da Sessão Cinéfila no mês de março, com exibição ao meio dia de sábado e com ingressos cinco reais

Em 2008 o Espaço Unibanco de Cinema de São Paulo completa 15 anos de atividades, e comemora com uma série de programações especiais que serão oferecidas ao longo do ano. Inaugurado em outubro de 1993, o Espaço foi patrocinado pelo Banco Nacional e incorporado pelo Unibanco, quando houve a fusão das duas instituições financeiras.

Desde sua inauguração o Espaço Unibanco realizou inúmeras mostras, debates, projetos e pré-estréias, transformando-se em ponto de referência e vitrine do cinema brasileiro em São Paulo. Além de apostar na iniciativa pioneira na cidade, com exibição de títulos do mundo todo, o Espaço Unibanco tem investido na formação de público para o cinema diferenciado através dos diversos projetos, criados e desenvolvidos pelos sócios Adhemar Oliveira, diretor geral, Eliane Monteiro e Patrícia Durães.

Com cinco salas, uma livraria e duas cafeterias, o Espaço Unibanco recebeu, desde sua inauguração, 7.532.240 (sete milhões, quinhentos e trinta e dois mil, duzentos e quarenta) espectadores em suas sessões, eventos e programações especiais como o Projeto Escola no Cinema, Curta Petrobrás às Seis, Odisséia de Cinema, Sessão Cinéfila e Debates, entre outros.

Durante esses quinze anos o Espaço Unibanco se tornou uma referência de programação de cinema de arte e de cinematografias pouco conhecidas. Por suas salas passam diariamente personalidades do meio cultural paulista, que fazem do espaço um local de convivência e também de formação.

Além das sessões de cinema, o Espaço Unibanco realiza com freqüência cursos livres das mais diversas áreas ligadas à atividade cinematográfica, oferecendo ao público a possibilidade de ampliar seus conhecimentos sobre a sétima arte.

Abrindo a programação do ano, o cinema anuncia para o mês de março os filmes da Sessão Cinéfila, com clássicos que serão exibidos sempre ao meio-dia de sábado, com ingressos a cinco reais.

Os filmes da Sessão Cinéfila de março são Cidadão Kane, de Orson Welles, Suspeita, de Alfred Hitchcock, A Batalha de Argel, de Gilo Potencorvo, A Classe Operária Vai ao Paraíso, de Elio Petri e De Veneza com Amor, de Franco Brusati.

Para o mês de abril o Projeto Escola no Cinema, dirigido a estudantes, prepara uma programação especial com a animação Garoto Cósmico, com exposição de desenhos originais do filme e brinquedos ópticos que deram origem às imagens em movimento presentes na animação.

Uma mostra com produções de Bollywood, como é chamada a cidade de Mumbai, na Índia, também está programada para o ano.

As acomodações do espaço também passam por reforma. Um novo local para a livraria e a inauguração de um bar são novidades que serão oferecidas aos freqüentadores ainda neste trimestre.

Também para este ano está prevista a reforma da bilheteria e do Espaço Anexo, onde estão localizadas as salas 4 e 5.

O Espaço Unibanco de Cinema fica na Rua Augusta, 1475 (salas 1, 2 e 3) e 1470 (salas 4 e 5) – Cerqueira César, e os telefones são, respectivamente,  11 3288-6780 e 3287.5590.

Sessão Cinéfila

Exibição de clássicos do cinema internacional
Dias 1º, 8, 15, 22 e 29/3, sempre ao meio dia
Espaço Unibanco de Cinema – sala 4: Rua Augusta, 1475 – Cerqueira César
Telefone 11 3287-5590
Ingressos: R$ 5,00 (cinco reais)

Dia 1º de março,  sábado, às 12h

CIDADÃO KANE – Citizen Kane
EUA, 1941, 119 min, p&b
Direção: Orson Welles
Elenco: Orson Welles, Dorothy Comingore, Joseph Cotten, Agnes Moorehead, Ruth Warrick, Ray Collins, Erskine Sanford, Paul Stewart, Everett Sloane, William Alland
Sinopse: Multimilionário norte-americano, Charles Foster, em seu último suspiro antes da morte pronuncia a palavra “rosebud”. Uma busca pelo significado desta palavra leva um repórter a procurar pessoas ligadas a Foster, que relatam sobre sua vida e sua ascensão, mas não o ajudam a decifrar a última palavra do milionário.
O filme é considerado uma das maiores obras-primas da história do cinema que muito contribuiu para a evolução da linguagem cinematográfica. Ganhou o Oscar de Melhor Roteiro, além de ter sido indicado em outras 8 categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Orson Welles), Melhor Direção de Arte em Preto e Branco, Melhor Fotografia em Preto e Branco, Melhor Edição, Melhor Som e Melhor Trilha Sonora em Drama. Em votação realizada em 1998 pelo American Film Institute, Cidadão Kane foi escolhido o melhor filme de todos os tempos.

Dia 8 de março, sábado, às 12h

SUSPEITA – Suspicion
EUA, 1941, 99 min, p&b
Direção: Alfred Hitchcock
Elenco: Nigel Bruce, Cedric Hardwicke, Cary Grant, Dame May Whitty, Joan Fontaine
Sinopse: Uma socialite apaixonada suspeita que seu marido, um homem misterioso e com passado desconhecido, seja um assassino. Após atitudes suspeitas ela desconfia que poderá ser sua próxima vítima.
Joan Fontaine, no papel da milionária Lina Mc Laidlaw, ganhou o prêmio de melhor atriz pelo New York Film Critics Award e o Oscar em 1942. O filme também foi indicado na categoria melhor filme e trilha sonora de filme dramático.
Alfred Hitchcock, famoso por sempre aparecer em seus filmes desde o longa-metragem “The Lodger”, 1926, aparece no filme aproximadamente aos 45 minutos, enviando uma carta no posto dos correios da cidade.

Dia 15 de março, sábado,  às 12h

A BATALHA DE ARGEL – La Battaglia di Algeri
Argélia/Itália, 1965, 121 min, p&b
Direção: Gilo Potencorvo
Elenco: Brahim Haggiag, Yacef Saadi, Tommaso Néri, Jean Martn, Fawzia el Kader, Michele Kerbash, Mohamed Bem Kassen, Samia Kerbash
Sinopse: O filme descreve eventos importantes da luta do povo argelino por sua libertação do colonialismo francês. A ação se passa entre 1954 e 1957, misturando ficção e fatos reais, que têm como fio condutor a história de integrantes da FLN – Frente de Libertação Nacional, que utilizava técnicas não convencionais de combate, baseadas na guerrilha e no terrorismo, enquanto o exército francês lutava pela política de eliminação e à tortura.
O filme, um clássico, traz ao final uma das mais belas e emocionantes cenas do cinema. A Batalha de Argel ganhou o Leão de Ouro e o prêmio Fipresci (da Federação Internacional dos Críticos), no Festival de Veneza em 1966. O filme foi banido na França até 1971 e o primeiro cinema que o exibiu sofreu um atentado. Ficou proibido no Brasil no período de ditadura militar.

Dia 22 de março, sábado,  às 12h

A CLASSE OPERÁRIA VAI AO PARAÍSO – La Classe Operaria Va in Paradiso
Itália, 1971, 125 min, cor
Direção: Elio Petri
Elenco: Gian Volontè, Mariângela Melato, Gino Pernice, Salvo Randone, Luigi Diberti
Sinopse: Lulu é um operário metalúrgico que perde um dedo em acidente de trabalho e é envolvido em movimento de protesto. Descobre assim a vida sindical. Ele Divide-se entre as tentações da sociedade de consumo e as convocações da esquerda tradicional, até que um acontecimento põe em xeque suas opiniões.
Um dos filmes mais importantes do cinema político italiano, ganhou o prêmio David di Donatello, em 1972, de melhor filme, além da Palma de Ouro no Festival de Cannes no mesmo ano. O diretor Elio Petri é um dos ícones do cinema político, seu filme “Investigação Sobre Um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita” (1970) é considerado sua obra prima.

Dia 29 de março, às 12h

DE VENEZA COM AMOR – Dimenticare Venezia
França/Itália, 1979, 110 min, cor
Direção: Franco Brusati
Elenco: Eleonora Giorgi, Mariangela Melato, Erland Josephson, Nerina Montagnani, David Pontremoli, Síria Betti, Peter Boom, Armando Brancia, Anne Caudry, Fred Persone, Hella Petri, Paolo Roversi
Sinopse: Marta, uma cantora de ópera que jamais se casou, tem um irmão, Nicky, que está vindo visitá-la. Anna, a sobrinha adotada por Marta, traz sua amiga Claudia para o encontro familiar e Nicky, o companheiro Picchio. O principal assunto no encontro familiar é a aceitação do envelhecimento com toda a graça possível, mostrando que, às vezes é preciso deixar para trás os sonhos da juventude.
De Veneza com Amor concorreu em 1979 ao Oscar de melhor produção estrangeira, perdendo para “O Tambor”, de Volker Schlondorff. Em São Paulo, foi lançado com o título “Encontro Marcado em Veneza”.
Franco Brusati, cineasta, produtor e roteirista. Trabalhou como roteirista em vários filmes de diretores renomados como: Roberto Rosselini (A Máquina Mata-Malvados, 1952), Vittório De Sica (O Jardim de Finzi-Contini, 1970), Franco Zeffireli (Romeo e Julieta, 1968).

Livros: Os mais vendidos

Segue a lista dos livros mais vendidos no período de 18/02 a 24/02:

01. A menina que roubava livros, Markus Zusak – Intrínseca
02. O caçador de pipas, Khaled Hosseini – Nova Fronteira
03. A cidade do sol, Khaled Hosseini – Nova Fronteira
04. O guardião de memórias, Kim Edwards – Sextante
05. A doçura do mundo, Thrity Umrigar – Nova Fronteira
06. Marley e eu: a vida e o amor ao lado do pior cão do mundo, John Grogan – Ediouro
07. A sombra do vento, Carlos Ruiz Zafon – Objetiva
08. A conspiração franciscana, John Sack – Sextante
09. Vale tudo: o som e a fúria de Tim Maia, Nelson Motta – Objetiva
10. Os limites da lei, Scott Turow – RCB
11. O futuro da humaniadde: a saga de um pensandor, Augusto Cury – Sextante
12. A montanha e o rio, Da Chen – Nova Fronteira               
13. Código da vida, Saulo Ramos – Planeta
14. Transformando suor em ouro, Bernardinho, GMT
15. Tudo bem não alcançar a cama no primeiro salto, John O. Hurley – Ediouro
16. Eric Clapton: a autobiografia, Eric Clapton, Planeta
17. Quando Nietzsche chorou, Irvin D. Yalon – Ediouro
18. Lula e minha anta, Diogo Mainardi – RCB
19. Elite da tropa, Luis Eduardo Soares – Objetiva
20. Einstein sua vida, seu universo, Walter Isaacson – Cia da Letra

Fonte: Siciliano

Membros dos Heróis da Resistência ensaiam volta

O guitarrista Jorge Shy e o baterista Alfredo Dias Gomes, ex-integrantes da banda Heróis da Resistência, acabam de terminar o CD de sua nova banda H56.

O CD contém 10 faixas inéditas e 2 regravações dos Heróis da Resistência, Tank e Doublé de Corpo. Esta com a participação do também ex-integrante dos Heróis, o cantor Leoni.