Espaço Unibanco inicia comemoração de quinze anos com filme a R$5

Cidadão Kane abre a programação da Sessão Cinéfila no mês de março, com exibição ao meio dia de sábado e com ingressos cinco reais

Em 2008 o Espaço Unibanco de Cinema de São Paulo completa 15 anos de atividades, e comemora com uma série de programações especiais que serão oferecidas ao longo do ano. Inaugurado em outubro de 1993, o Espaço foi patrocinado pelo Banco Nacional e incorporado pelo Unibanco, quando houve a fusão das duas instituições financeiras.

Desde sua inauguração o Espaço Unibanco realizou inúmeras mostras, debates, projetos e pré-estréias, transformando-se em ponto de referência e vitrine do cinema brasileiro em São Paulo. Além de apostar na iniciativa pioneira na cidade, com exibição de títulos do mundo todo, o Espaço Unibanco tem investido na formação de público para o cinema diferenciado através dos diversos projetos, criados e desenvolvidos pelos sócios Adhemar Oliveira, diretor geral, Eliane Monteiro e Patrícia Durães.

Com cinco salas, uma livraria e duas cafeterias, o Espaço Unibanco recebeu, desde sua inauguração, 7.532.240 (sete milhões, quinhentos e trinta e dois mil, duzentos e quarenta) espectadores em suas sessões, eventos e programações especiais como o Projeto Escola no Cinema, Curta Petrobrás às Seis, Odisséia de Cinema, Sessão Cinéfila e Debates, entre outros.

Durante esses quinze anos o Espaço Unibanco se tornou uma referência de programação de cinema de arte e de cinematografias pouco conhecidas. Por suas salas passam diariamente personalidades do meio cultural paulista, que fazem do espaço um local de convivência e também de formação.

Além das sessões de cinema, o Espaço Unibanco realiza com freqüência cursos livres das mais diversas áreas ligadas à atividade cinematográfica, oferecendo ao público a possibilidade de ampliar seus conhecimentos sobre a sétima arte.

Abrindo a programação do ano, o cinema anuncia para o mês de março os filmes da Sessão Cinéfila, com clássicos que serão exibidos sempre ao meio-dia de sábado, com ingressos a cinco reais.

Os filmes da Sessão Cinéfila de março são Cidadão Kane, de Orson Welles, Suspeita, de Alfred Hitchcock, A Batalha de Argel, de Gilo Potencorvo, A Classe Operária Vai ao Paraíso, de Elio Petri e De Veneza com Amor, de Franco Brusati.

Para o mês de abril o Projeto Escola no Cinema, dirigido a estudantes, prepara uma programação especial com a animação Garoto Cósmico, com exposição de desenhos originais do filme e brinquedos ópticos que deram origem às imagens em movimento presentes na animação.

Uma mostra com produções de Bollywood, como é chamada a cidade de Mumbai, na Índia, também está programada para o ano.

As acomodações do espaço também passam por reforma. Um novo local para a livraria e a inauguração de um bar são novidades que serão oferecidas aos freqüentadores ainda neste trimestre.

Também para este ano está prevista a reforma da bilheteria e do Espaço Anexo, onde estão localizadas as salas 4 e 5.

O Espaço Unibanco de Cinema fica na Rua Augusta, 1475 (salas 1, 2 e 3) e 1470 (salas 4 e 5) – Cerqueira César, e os telefones são, respectivamente,  11 3288-6780 e 3287.5590.

Sessão Cinéfila

Exibição de clássicos do cinema internacional
Dias 1º, 8, 15, 22 e 29/3, sempre ao meio dia
Espaço Unibanco de Cinema – sala 4: Rua Augusta, 1475 – Cerqueira César
Telefone 11 3287-5590
Ingressos: R$ 5,00 (cinco reais)

Dia 1º de março,  sábado, às 12h

CIDADÃO KANE – Citizen Kane
EUA, 1941, 119 min, p&b
Direção: Orson Welles
Elenco: Orson Welles, Dorothy Comingore, Joseph Cotten, Agnes Moorehead, Ruth Warrick, Ray Collins, Erskine Sanford, Paul Stewart, Everett Sloane, William Alland
Sinopse: Multimilionário norte-americano, Charles Foster, em seu último suspiro antes da morte pronuncia a palavra “rosebud”. Uma busca pelo significado desta palavra leva um repórter a procurar pessoas ligadas a Foster, que relatam sobre sua vida e sua ascensão, mas não o ajudam a decifrar a última palavra do milionário.
O filme é considerado uma das maiores obras-primas da história do cinema que muito contribuiu para a evolução da linguagem cinematográfica. Ganhou o Oscar de Melhor Roteiro, além de ter sido indicado em outras 8 categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Orson Welles), Melhor Direção de Arte em Preto e Branco, Melhor Fotografia em Preto e Branco, Melhor Edição, Melhor Som e Melhor Trilha Sonora em Drama. Em votação realizada em 1998 pelo American Film Institute, Cidadão Kane foi escolhido o melhor filme de todos os tempos.

Dia 8 de março, sábado, às 12h

SUSPEITA – Suspicion
EUA, 1941, 99 min, p&b
Direção: Alfred Hitchcock
Elenco: Nigel Bruce, Cedric Hardwicke, Cary Grant, Dame May Whitty, Joan Fontaine
Sinopse: Uma socialite apaixonada suspeita que seu marido, um homem misterioso e com passado desconhecido, seja um assassino. Após atitudes suspeitas ela desconfia que poderá ser sua próxima vítima.
Joan Fontaine, no papel da milionária Lina Mc Laidlaw, ganhou o prêmio de melhor atriz pelo New York Film Critics Award e o Oscar em 1942. O filme também foi indicado na categoria melhor filme e trilha sonora de filme dramático.
Alfred Hitchcock, famoso por sempre aparecer em seus filmes desde o longa-metragem “The Lodger”, 1926, aparece no filme aproximadamente aos 45 minutos, enviando uma carta no posto dos correios da cidade.

Dia 15 de março, sábado,  às 12h

A BATALHA DE ARGEL – La Battaglia di Algeri
Argélia/Itália, 1965, 121 min, p&b
Direção: Gilo Potencorvo
Elenco: Brahim Haggiag, Yacef Saadi, Tommaso Néri, Jean Martn, Fawzia el Kader, Michele Kerbash, Mohamed Bem Kassen, Samia Kerbash
Sinopse: O filme descreve eventos importantes da luta do povo argelino por sua libertação do colonialismo francês. A ação se passa entre 1954 e 1957, misturando ficção e fatos reais, que têm como fio condutor a história de integrantes da FLN – Frente de Libertação Nacional, que utilizava técnicas não convencionais de combate, baseadas na guerrilha e no terrorismo, enquanto o exército francês lutava pela política de eliminação e à tortura.
O filme, um clássico, traz ao final uma das mais belas e emocionantes cenas do cinema. A Batalha de Argel ganhou o Leão de Ouro e o prêmio Fipresci (da Federação Internacional dos Críticos), no Festival de Veneza em 1966. O filme foi banido na França até 1971 e o primeiro cinema que o exibiu sofreu um atentado. Ficou proibido no Brasil no período de ditadura militar.

Dia 22 de março, sábado,  às 12h

A CLASSE OPERÁRIA VAI AO PARAÍSO – La Classe Operaria Va in Paradiso
Itália, 1971, 125 min, cor
Direção: Elio Petri
Elenco: Gian Volontè, Mariângela Melato, Gino Pernice, Salvo Randone, Luigi Diberti
Sinopse: Lulu é um operário metalúrgico que perde um dedo em acidente de trabalho e é envolvido em movimento de protesto. Descobre assim a vida sindical. Ele Divide-se entre as tentações da sociedade de consumo e as convocações da esquerda tradicional, até que um acontecimento põe em xeque suas opiniões.
Um dos filmes mais importantes do cinema político italiano, ganhou o prêmio David di Donatello, em 1972, de melhor filme, além da Palma de Ouro no Festival de Cannes no mesmo ano. O diretor Elio Petri é um dos ícones do cinema político, seu filme “Investigação Sobre Um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita” (1970) é considerado sua obra prima.

Dia 29 de março, às 12h

DE VENEZA COM AMOR – Dimenticare Venezia
França/Itália, 1979, 110 min, cor
Direção: Franco Brusati
Elenco: Eleonora Giorgi, Mariangela Melato, Erland Josephson, Nerina Montagnani, David Pontremoli, Síria Betti, Peter Boom, Armando Brancia, Anne Caudry, Fred Persone, Hella Petri, Paolo Roversi
Sinopse: Marta, uma cantora de ópera que jamais se casou, tem um irmão, Nicky, que está vindo visitá-la. Anna, a sobrinha adotada por Marta, traz sua amiga Claudia para o encontro familiar e Nicky, o companheiro Picchio. O principal assunto no encontro familiar é a aceitação do envelhecimento com toda a graça possível, mostrando que, às vezes é preciso deixar para trás os sonhos da juventude.
De Veneza com Amor concorreu em 1979 ao Oscar de melhor produção estrangeira, perdendo para “O Tambor”, de Volker Schlondorff. Em São Paulo, foi lançado com o título “Encontro Marcado em Veneza”.
Franco Brusati, cineasta, produtor e roteirista. Trabalhou como roteirista em vários filmes de diretores renomados como: Roberto Rosselini (A Máquina Mata-Malvados, 1952), Vittório De Sica (O Jardim de Finzi-Contini, 1970), Franco Zeffireli (Romeo e Julieta, 1968).

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: