Archive for março \25\UTC 2008|Monthly archive page

Agenda de shows

Com o dólar baixo, as produtoras de shows brasileiras resolveram se mexer e “inundam” o país – ou melhor, as regiões Sul e Sudeste – com shows para todos os gostos, mas, infelizmente, não para todos os bolsos.

Grupos como Bad Brains, New York Dolls, Black Rebel Society, Helloween, entre alguns outros, estarão no Brasil, alguns pela primeira vez.

Os shows abaixo estão confirmados, mas é bom entrar em contato com as casas onde eles acontecerão para evitar qualquer imprevisto.

Seal
Porto Alegre Pepsi on Stage – 3 de abril
Helloween & Gamma Ray
Curitiba – 15 de abril
Rio de Janeiro – Citibank Hall -17 de abril
Belo Horizonte – Chevrolet Hall – 18 de abril
São Paulo Credicard Hall – 20 de abril
Porto Alegre – Pepsi On Stage – 22 de abril
Manaus – Arena Amadeu Teixeira – 24 de abril
Fortaleza – TBA – 26 de abril
Recife – 27 de abril (Abril Pro Rock)
Africa Baambaata
São Paulo – Minth – 10 de abril
Rio de Janeiro – Fundição Progresso – 11 de abril
Belo Horizonte – Freegells – 12 de abril
São Paulo – Clash – 17 de abril
Brasília – Trend Lounge – 19 de abril
Campinas – Clube Kraft – 20 de abril
Curitiba – Master Hall – 25 de abril
Vitória – Ilha Acústico – 26 de abril
São Paulo – Virada Cultural – 27 de abril
Florianópolis – Confraria – 1 de maio
Balneário de Camboriú – Kiwi – 2 de maio
Florianópolis – El Divino – 3 de maio

Ozzy/Korn/Black Rebel Society
Rio de Janeiro – Rio Arena – 03 de abril
São Paulo – Estádio do Palmeiras – 05 de abril

Rod Stewart
Rio de Janeiro Rio Arena – 5 de abril
São Paulo – Estádio do Palmeiras – 4 de abril
Within Temptation
São Bernardo do Campo – Espaço Lux- 13 de abril
New York Dolls
São Paulo – Hangar 110 – 10 de abril
Recife – 11 de abril (Abril Pro Rock)

Bad Brains
São Paulo – Easy – 09 de abril
Recife – 11 de abril (Abril Pro Rock)
Rio de Janeiro – Circo Voador – 12 de abril

Black Oil
Rio de Janeiro – 12 e 13 de abril
Campo Grande – 18 de abril
Cuiabá – Fora do Eixo – 19 de abril
Rondonópolis – 20 de abril
Guarulhos – 23 de abril
Manaus – 25 de abril
Belo Horizonte – Bar Brasil – 26 de abril
108
Rio de Janeiro Audio Rebel – 24 de abril
Vitória – não informado – 25 de abril
Belo Horizonte – Matriz – 26 de abril
São Paulo – Animal Liberation Fest 3 – 27 de abril
Datsuns
São Paulo – Inferno – 11 de abril
Recife – 12 de abril (Abril Pro Rock)
Goiânia – Bolshoi Pub- 13 de abril

Lisa Li-Lund
Recive – Cortiço – 3 de abril
Porto Alegre – Santander Cultural – 6 de abril
Rio de Janeiro – Áudio Rebel – 11 de abril
São Paulo – SESC Vila Mariana – 17 de abril

Abril Pro Rock (Bad Brains/Helloween/Gamma Ray/Datsuns/Lobão)
Recife – 11 / 12 / 27 de abril
Riders on the Storm
São Paulo – HSBC Brasil – 10 de abril
Brasília – Ginásio Nilson Nelson – 11 de abril
Porto Alegre – Pepsi on Stage – 12 de abril

Universidade do Livro promove curso sobre o direito autoral no Brasil

A Universidade do Livro, vinculada à Fundação Editora da Unesp, promove dias 26 e 27 de março o curso O direito autoral no Brasil – dez anos depois… O objetivo é analisar o direito autoral no país decorridos 10 anos de aplicação da Lei 9.610 de fevereiro de 1998 e apresentar uma visão prática das leis e questões relacionadas ao tema.

O conteúdo das aulas inclui discussões sobre as novas tecnologias e suas relações com o direito autoral. Examina também conflitos e soluções  e as principais decisões dos tribunais brasileiros.

As aulas serão ministradas por Maria Luiza de Feitas Valle Egea e por Plínio Cabral. Maria Luiza é advogada e diretora da Associação Brasileira de Direito Autoral – ABDA.  Cabral é advogado, autor de várias obras de direito e consultor da ABDA. Ambos são membros da Comissão Especial de Propriedade Imaterial da OAB-SP.

O curso é voltado a editores, editores-assistentes, editores de arte, designers gráficos, ilustradores, pesquisadores iconográficos, bibliotecários, arquitetos, estudantes de arte e arquitetura e demais interessados.

O direito autoral no Brasil – dez anos depois… acontece nos dias 26 (das 9h às 12h e 14h às 17h) e 27 de março (9h às 13h), com carga horária total de 10 horas, na sede da Universidade do Livro, à Praça da Sé, 108 (Centro – São Paulo, SP). O investimento é de R$ 400 (R$ 320 para sócios e estudantes)

Informações sobre reservas e inscrições podem ser obtidas pelo telefone (11) 3242-9555 e e-mail universidadedolivro@editora.unesp.br. O programa completo está acessível no site http://www.editoraunesp.com.br, link para Universidade do Livro.

Estréia a peça Walkiriana uma tragicomédia em 4 regências de Angélica Angelucci e Pepê Mata Machado no CCSP de 28/3 a 27/4

Walkiriana nem sempre foi maestrina. Uma antiqüíssima mulher vivendo inúmeras venturas, peripécias e tragédias, sem se abalar percorre diferentes momentos históricos e linguagens estéticas. O texto é de Angélica Angelucci e Pepê Mata Machado, com direção de Lulu Pavarim.

Walkiriana conheceu e influenciou movimentos estéticos e históricos da humanidade em todos os tempos. Tocou na corte do faraó do Egito antigo; passeou nos jardins do palácio de Versalhes na corte de Luís XIV como musicista de Lully, o “tirano da forma”, que com seu bastão marcava violentamente o compasso musical. Perambulou pelo romantismo e nacionalismo alemão; viu-se forçada em campos de concentração e extermínio, e tocou campos da África minada; acompanhou o músico alemão Koellreuter à Bahia, participou da bossa-nova com o Pato; esteve em palcos do mundo todo, discotecou em raves no Tajmahal da antiguidade e do atualíssimo Jorge Benjor. Reverberou com Maiakoviski que dissera: “não há obra revolucionária sem forma revolucionária”

Atravessando momentos históricos e estéticos numa vida repleta de venturas, peripécias e catástrofes por aqui e acolá, nunca se deixando abater, nem de
se iluminar nem mesmo diante das maiores tragédias, ao contrário, refletindo-se nelas, transforma-se num herói, um ser simbólico.

Ficha técnica:

Texto – Angélica Angelucci e Pepê Mata Machado
Elenco – Angélica Angelucci
Direção – Lulu Pavarim
Assistente de direção e preparador corporal – Andrés Pérez Barrera
Sonoplastia – Pepê Mata Machado
Criação de música original – Wilson Surkorski e Pepê Mata Machado
Cenário – agradecimento especial André Cortez
Desenho de luz – Miló Martins
Figurino – Iara Wisnik e Thaisa Toledo
Assistente de figurino – Laís Abate
Fotos – Flambart
Design – Carolina de Carvalho
Produção – Angélica Angelucci

Serviço:
Espetáculo: Walkiriana
Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso
Sala Paulo Emílio Salles Gomes
Lotação: 110 lugares
De 28 de março a 27 de abril de 2008
Sexta e sábado às 21h e domingo às 20h
Gênero: Tragicomédia
Duração: 69 minutos
Ingresso: R$ 12,00 (meia entrada também para músicos)
Preço popular: R$ 2,00 no dia 04 de abril
Abertura da bilheteria: uma hora antes
Recomendado para maiores de 16 anos
Informações ao público: 3383-3402

Mexicanos expõem em SP

Com curadoria de Arcádio Vera a exposição “Gravadores Mexicanos Contemporâneos” reúne trabalhos de artistas de várias gerações da forte tradição gráfica mexicana. As obras contemplam as diferentes técnicas de gravura: xilogravura, gravura em metal, litografia e monotipia de artistas das cidades de Oaxaca e Cidade do México.
Esta exposição é parte do programa de intercâmbio iniciado com a exposição “Brazilian Contemporary Printmakers” realizada em outubro de 2007 em Nova Iorque.

Em 2008, a mostra de gravura Brasileira será vista no “Hillyer Art Space” em Washington DC nos EUA (07 de março a 25 de abril), no “Instituto de Artes Gráficas de Oaxaca” (5 de maio a 15 de junho) e na “Fundación Sebastian” na Cidade do México (10 de julho a 10 de agosto).

Abertura: 18 de março, terça-feira, 19 às 22hs.

Exposição: 18 de março a 25 de abril de 2008.
Local: GRAVURA BRASILEIRA
Rua Fradique Coutinho, 953, Vila Madalena, ao lado da livraria da Vila
Fones: 3097.0301 e 3097.9193
Horários: segunda-feira a sexta-feira: 10/18hs  e sábado: 11/14hs
convênio com estacionamento à rua Fradique Coutinho, 1134.

http://www.cantogravura.com.br

Arte Infinita Galeria revela a recente produção em tela de Stephen Henriques

Artista americano radicado no Brasil exibe 14 óleos inéditos em “Passagens”. Mostra evidencia a transição do figurativo para o abstrato na obra do artista.

A Arte Infininta Galeria apresenta, de 19 de março a 8 de abril, a recente produção em tela do pintor norte-americano, radicado no Brasil, Stephen Henriques. Curada pela galerista Viviane Teperman, a mostra “Passagens” traz ao público paulista 14 óleos sobre tela em que Henriques faz a transição do figurativo para o abstrato, evidenciando a sua trajetória artística recente.
Egresso do San Francisco Art Institute, EUA, nos anos 70, Henriques é considerado pela crítica internacional um dos discípulos do renomado expressionista abstrato Richard Dieberkorn, um dos expoentes do movimento artístico californiano “The Bay Area Movement”. Fã confesso de música, o artista conheceu de perto as lendas do jazz, que representou uma enorme influência na sua produção.
Uma breve passada de olhos sobre o conjunto dos trabalhos já justifica o título da mostra “Passagens”, uma vez que ali estão expostas telas em que se percebe a mudança sutil, porém bastante perceptível, por que a produção de Henriques vem passando desde a mudança de São Francisco para o Brasil, em 2002. Se nas mais antigas ainda se percebem alguns elementos figurativos como a cartola de Thelonious Monk (“Monk’s Tango”, 2004), a silhueta feminina (“Ornette’s Waltz”, 2004) e a curva do piano baby grand (“The Dolphy Trilogy”, 2005), nos mais recentes os traços de figuração cedem espaço para a criação de paisagens imaginárias em que a paleta de cores oscila entre tons ora mais escuros (“Fireflies”, 2007), ora mais vibrantes como em “Sutra”, de 2007.
A carreira de Stephen Henriques está pontuada por exposições individuais no San Francisco Art Institute (1970), Glanstonbury Gallery, San Francisco (1982), Workplace Gallery, Nova York (1993), “Inspired by Jazz”, no Festival Amazonas Jazz,  Manaus (2006), entre outras. Dentre as coletivas, destacam-se “Farnsworth Gallery, em San Francisco (1986) e “American Days and Nights” no aniversário de 85 anos da Câmara Americana de Comércio em São Paulo (2004).

Serviço:

Evento: “Passagens”, mostra individual de Stephen Henriques
Período Expositivo: de 19 de março a de 8 de abril de 2008
Abertura para convidados: 18 de março, às 19h30
Local: Arte Infinita Galeria
Horários de visitação: 2ª a 6ª das 10 às 18h e aos sábados das 10 às 14h
Endereço: Rua Matheus Grou, 629, Pinheiros, São Paulo, SP
Telefone: (11) 3032 3151
Entrada Franca
Estacionamento gratuito no local (3 vagas)
www.arteinfinita.com.br

Nine Inch Nails de graça na internet

Trent Reznor liberou algumas faixas do álbum Ghosts I-IV para download no site do grupo.

O vocalista disse que as músicas são “o resultado de um trabalho feito sob uma perspectiva visual” informa o site da Rolling Stone Brasil

O disco foi gravado no ano passado e é possível baixar uma parte do trabalho, nove músicas, sem pagar nada. Se quiser o disco inteiro o fã terá que pagar por volta de 5 dólares. Já o CD fisíco sairá por 10 dólares.

Além destas versões, duas limitadas, uma com livro de capa dura, DVD e CD e outra númerada, logicamente, as duas são bem mais caras.

Bono no American Idol

O líder do U2 será a atração principal do concerto beneficente que o programa American Idol fará´no dia 9 de abril. Está será a segunda edição do concerto.

Além de Bono, nomes como Snoop Dogg, Fergie, Annie Lennox, Maria Carey, entre outros, se apresentarão para levantar fundos para crianças pobres.

No ano passado, o show arrecadou mais de 76 milhões dólares.

Além das atrações musicais, astros como Bradd Pitt e Reese Witherspoon também participarão.

Gravuristas brasileiros em destaque em Washington

Com curadoria de Eduardo Besen, co-fundador da Galeria Gravura Brasileira, Contemporary Brazilian Printmakers reúne uma seleção de 31 artistas que comprovam a força das artes gráficas no panorama da arte brasileira. A exposição reúne diversas linguagens e técnicas de gravura e inclui trabalhos de dimensões e formas variadas de artistas jovens e consagrados mostrando toda a riqueza desta forma histórica de arte. Das cores vibrantes aos tons de sépia e aos negros profundos das xilogravuras a exposição nos apresenta toda a tradição da gravura nacional.

Artistas participantes: Jacqueline Aronis, Arnaldo Battaglini, Ana Elisa Baptista, Ernesto Bonato, Ulysses Boscolo, Elisa Bracher, Marco Buti, Paulo Carapunarlo, Claudio Caropreso, Maria do Carmo Carvalho, Renata Basile Da Silva, Margot Delgado, Larissa Franco, Helena Freddi, Sheila Goloborotko, Evandro Carlos Jardim, Fabrício Lopez, Francisco Maringelli, Cláudio Mubarac, Márcio Pannunzio, Paulo Penna, Laerte Ramos, Simone Rebelo, Augusto Sampaio, Armando Sobral, Andrea Tavares, Diô Viana, Fernando Vilela, Maria Villares, Giorgia Volpe e Walter Wagner.

A exposição foi montada e coordenada por International Arts & Artists, Washington, DC em conjunto com a Galeria Gravura Brasileira, São Paulo, Brasil e a Embaixada do Brasil em Washington, DC.

Hillyer Art Space recebe fundos parciais da DC Commission on the Arts and Humanities e de patrocinadores privados.

Sobre | Hillyer Art Space, 9 Hillyer Court, NW está aberto ao público de Segunda –10/17hs, Terça a Sexta 10/19hs e Sábado 11/16hs ou com hora marcada. Entrada franca. Hillyer Art Space é um espaço de exposição de arte contemporânea sem fins lucrativos e faz parte dos projetos do International Arts & Artists, uma organização sem fins lucrativos dedicada ao intercâmbio cultural e a exposições internacionais de arte através de exposições itinerantes, projetos culturais e prestação de serviços a artistas, instituições e ao público em geral.

Para mais informação, por favor visite http://www.artsandartists.org/artspace e http://www.cantogravura.com.br

Colombiana e brasileiro dividem expo em SP

A colombiana Rosario López Parra, em seu programa Roesler Hotel, e as novas pinturas de BOI, José Carlos Cezar Ferreira 

O Roesler Hotel, programa dedicado ao intercâmbio de arte internacional contemporânea, desta vez ocupará o piso térreo da Galeria Nara Roesler para apresentar a obra de Rosario López Parra,  artista colombiana que participou da última edição da Bienal de Veneza (2007) e recebeu o primeiro prêmio da Bienal de Arte de Bogotá (2000). “Insufflare”, o mais recente projeto de Rosario López Parra, em versão ampliada para esta mostra,  propõe um repensar sobre os conceitos de paisagem e escultura, por meio de uma instalação e registros fotográficos de paisagens, a maioria dos quais realizados na França, onde ela foi artista em residência no Centro de Arte Contemporânea Camac Marnay sur-Seine.

Para Rosario López Parra, que há dez anos vem trabalhando em torno da fotografia e da escultura ao mesmo tempo, a paisagem é um conjunto de forças naturais cujos limites e estruturas tanto naturais, quanto conceituais, podem ser alterados quando relacionados a um objeto tridimensional. Em cada uma das fotografias desta mostra, observa-se uma espécie de manta fina de alumínio no meio de uma paisagem de plano infinito, em formas diferentes devido às forças naturais que existem ali, como a luz, o movimento e a gravidade. A manta de alumínio que atua como uma escultura, vai  tomando forma de maneira aleatória por causa do ar que a empurra e insufla seu interior. 

É assim a forma como a artista refaz o conceito de escultura, “como um espaço de constante mudança, transformação e movimento”, desligando-o do pensar tradicional relacionado ao suporte. Rosario López Parra se vale do meio fotográfico no solo para registrar a versatilidade do meio escultórico, e também para mostrar a monumentalidade, a leveza e a fragilidade do objeto escultórico. Adicionalmente, a artista apresenta uma instalação feita a partir do bio-alumínio, fios de prata e aquecedores, na qual busca recriar, de maneira artificial, as forças que habitam as paisagens.

Com Insufflare – que esteve em 2007 na galeria Casas Riegner, em Bogotá, parceira do projeto Roesler Hotel e, em formato reduzido, no Ateliê da Imagem para comemorar os 12 anos do espaço carioca – Rosario López Parra nos mostra que a paisagem é mais uma infinita extensão do terreno que se contempla, pois a artista deseja tornar visível, por meio do objeto modificado pela paisagem, aquelas forças invisíveis e primordiais que determinam a nossa existência.

Rosario López Parra, que virá a São Paulo para a abertura da exposição, estudou artes plásticas na Universidade dos Andes e fez mestrado em Escultura no Chelsea College of Art and Design, em Londres. Tem participado de várias exposições coletivas tanto locais, quanto internacionais, entre as quais se destaca a VII Bienal de Arte de Bogotá, evento que lhe outorgou o Primeiro Prêmio (2000). Em 2006, a artista foi selecionada pelo consagrado curador Robert Storr para participar da 52 Bienal de Veneza, em 2007.  No Brasil já expôs no Ateliê de Imagem Espaço Cultural, no Rio Janeiro. López Parra, além de ser artista é professora da Faculdade de Artes de Universidade Nacional da Colômbia.

No mesmo dia, será lançado o catálogo que reúne o conjunto dos dez primeiros artistas internacionais que se “hospedaram” no Roesler Hotel, um canal de comunicação e colaboração permanente entre a Galeria Nara Roesler e importantes instituições ligadas à arte contemporânea de todo mundo, criado no final de 2004. A publicação traz textos de Agnaldo Farias e introdução de Daniel Roesler Castro e Silva, diretor da galeria e responsável pelo projeto. 

Já no segundo andar, em seu espaço recém-ampliado, a Galeria Nara Roesler traz a produção recente de BOI, José Carlos Cezar Ferreira (Marília SP, 1944). São oito óleos sobre tela (1,50 x 1,80m) realizados em 2007 e 2008. Boi sempre esteve interessado no que vê através da janela. Por muito tempo seu olhar repousou na natureza da cidade montanhosa de Mauá (RJ), onde morou. Depois que voltou a São Paulo, o artista passou a contemplar o espaço urbano, traduzindo em suas pinturas de poucos traços a sua convivência com a cidade.

No conjunto, segundo Gabriel Borba, estes quadros formam uma família, mas cada pintura guarda características muito particulares. “Sem usar muitas cores e com um repertório de formas muito restrito, Boi alcança uma impactante composição”, afirma o crítico. A nova série, com uma única linguagem geométrica – retângulos monocromáticos –, não deixa de, pela cor, sugerir um céu e, pela profundidade, ensejar à paisagem. Se antes as cores primárias eram mais evidentes em seus trabalhos, nestas oito pinturas o potencial cromático se afirma nas diversas combinações entre o azul e o vermelho, em vigorosa exploração dos harmônicos violetas.

Boi foi aluno da Escola Brasil, aonde chegou a  ensinar ao lado de José Resende e, na década de 80, fez parte da prestigiosa Galeria Subdistrito. Apesar de se destacar no mundo das artes desde a década de 70, quando recebeu prêmios e realizou individuais importantes, como no Masp, em 76, Boi é mais admirado entre os artistas. Esta é a sua terceira individual na Galeria Nara Roesler.

Insufflare – Rosário López Parra
BOI, José Carlos Cezar Ferreira – pinturas recentes
Abertura: 6 de março, das 20 às 23h (para convidados)
Para o público: de 7 de março a 5 de abril de 2008
De segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 15h.
Galeria Nara Roesler
Av. Europa, 655 – São Paulo. Tel./fax: 3063-2344
Site: http://www.nararoesler.com.br / E-mail: galeria@nararoesler.com.br