CCBB apresenta Oriente Desconhecido

mostra, que será realizada no CCBB, em São Paulo, de 24/09 a 05/10, apresentará  seleção de importantes trabalhos asiáticos do período de 1997 a 2006 todos os longas exibidos são inéditos em circuito no Brasil a maioria das projeções será feita em 35 mm

Os mais ousados filmes do Sudeste Asiático e do Extremo Oriente têm lugar permanente nos grandes festivais ocidentais e mesmo no circuito comercial. Infelizmente, não é o que acontece por aqui. Com isso, o cinéfilo brasileiro perde contato com alguns nomes representativos do cinema contemporâneo – caso do taiwanês Hou Hsiao-hsien e do tailandês Apichatpong Weerasethakul, cujos trabalhos raramente são exibidos no Brasil. Oriente Desconhecido, que tem curadoria do jornalista e realizador Gustavo Galvão, procura compensar esta realidade com a exibição de 12 títulos (09 em película), todos inéditos no Brasil. O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro também apresenta a mostra de 23 de setembro a 5 de outubro.

Do tailandês Weerasethakul serão exibidos três longas: Syndromes and a Century, Blissfully Yours e Tropical Malady (vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes). Um outro diretor, de mesma nacionalidade, é Pen-Ek Ratanaruang, que terá o seu Last Life in the Universe na mostra. Trata-se de um dos filmes mais cults do cinema oriental recente. A mostra exibirá ainda trabalhos de Hou Hsiao-hsien, experiente diretor e “um dos primeiros a se destacar mundialmente com um cinema poético, riquíssimo e autoral”, segundo Galvão. No entanto, apesar de ter uma série de prêmios conquistados nos grandes festivais europeus, nenhum filme dirigido por ele foi lançado comercialmente no Brasil.

Outros destaques da mostra são: Love Will Tear us Apart (Yu Lik-wai / Hong Kong – Prêmio de fotografia em Estocolmo); Millenium Mambo (Hou Hsiao-hsien / Taiwan – Prêmio técnico em Cannes); Samaria (Kim Ki-duk / Coréia do Sul – Urso de Prata no Festival de Berlim); The World (Jia Zhang-ke / China – Premiado em Toronto) e Tropical Malady (Apichatpong Weerasethakul / Tailândia – Prêmio do júri em Cannes).

O curador, que optou por trabalhar com os filmes asiáticos da última década, realizados entre 1997 e 2006, além de dar ênfase a seis diretores de cinco países – Kim Ki-duk (Coréia do Sul), Jia Zhang-ke (China), Yu Lik-wai (Hong Kong) e Pen-Ek Ratanaruang (Tailândia), Hsiao-hsien e Weerasethakul – define o que o motivou a realizar Oriente Desconhecido. Diz Galvão: “a idéia da mostra surgiu de uma constatação grave: por décadas, o espectador brasileiro tem sido prejudicado pelo olhar viciado dos distribuidores em relação ao cinema asiático. Diretores como Hou Hsiao-hsien e Apichatpong Weerasethakul não se enquadram nos estereótipos traçados outrora para definir o cinema do Sudeste Asiático e do Extremo Oriente. Pior para nós, que perdemos contato com uma produção de altíssimo nível artístico. Eles dialogam com os grandes mestres do passado, mas se destacam com um estilo absolutamente pessoal e irresistível, que desafia a banalidade.”

Nove dos 12 filmes serão exibidos em 35mm (identificados abaixo). Com colaboração de Cássio Pereira, cineasta de Brasília residente em Pequim, foi possível travar um diálogo direto com os cineastas e produtores envolvidos. Trata-se de uma iniciativa dedicada à formação de platéias e à inserção do Brasil num cenário rico e efervescente.

Sobre o curador
Nascido em Brasília, em 1976, Gustavo Galvão fez especialização em cinema na Escuela Superior de Artes y Espectáculos (Madri) e se formou em Jornalismo na Universidade de Brasília. A estréia como realizador aconteceu em 2002. O thriller psicológico Emma na Tempestade foi o primeiro de sete curtas dirigidos e apresentados no período de sete anos, exibidos em mais de 50 festivais no Brasil e no exterior. O mais recente, A Minha Maneira de Estar Sozinho, tem estréia marcada para o 41º Festival de Brasília, em novembro de 2008. O cineasta se dedica também ao trabalho de curador de mostras, com passagens pelo Festival Internacional de Brasília (1999-2000) e com 11 eventos realizados para o Centro Cultural Banco do Brasil desde agosto de 2004 – nas unidades de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Programação

Quarta, 24/09
17h – Three Times (Hou Hsiao-hsien, Taiwan, 2005, 132 min.)
19h30 – Syndromes and a Century (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2006, 105 min.)

Quinta, 25/09
14h30 – Samaria (Kim Ki-duk, Coréia do Sul, 2004, 95 min.); exibição em DVD.
17h – Xiao Wu – Artisan Pickpocket (Jia Zhang-ke, China, 1997, 105 min.)
19h30 – All Tomorrow’s Parties (Yu Lik-wai, Hong Kong, 2003, 96 min.)

Sexta, 26/09
14h30 – Blissfully Yours (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2002, 125 min.), exibição em DVD.
17h – Invisible Waves (Pen-Ek Ratanaruang, Tailândia, 2006, 115 min.)
19h30 – Xiao Wu – Artisan Pickpocket (Jia Zhang-ke, China, 1997, 105 min.)

Sábado, 27/09
14h30 – Samaria (Kim Ki-duk, Coréia do Sul, 2004, 95 min.), exibição em DVD.
17h – All Tomorrow’s Parties (Yu Lik-wai, Hong Kong, 2003, 96 min.)
19h30 – Three Times (Hou Hsiao-hsien, Taiwan, 2005, 132 min.)

Domingo, 28/09
17h – Syndromes and a Century (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2006, 105 min.)
19h30 – Invisible Waves (Pen-Ek Ratanaruang, Tailândia, 2006, 115 min.)

Quarta, 01/10
17h – Blissfully Yours (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2002, 125 min.), exibição em DVD.
19h30 – The World (Jia Zhang-ke, China, 2004, 140 min.)

Quinta, 02/10
17h – Samaria (Kim Ki-duk, Coréia do Sul, 2004, 95 min.), exibição em DVD.
19h30 – Tropical Malady (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2004, 120 min.)

Sexta, 03/10
14h30 – Last Life in the Universe (Pen-Ek Ratanaruang, Tailândia, 2003, 112 min.)
17h – Millenium Mambo (Hou Hsiao-hsien, Taiwan, 2001, 119 min.)
19h30 – Love Will Tear Us Apart (Yu Lik-wai, Hong Kong, 1999, 114 min.), exibição em DVD.

Sábado, 04/10
14h30 – Blissfully Yours (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2002, 125 min.), exibição em DVD.
17h – Last Life in the Universe (Pen-Ek Ratanaruang, Tailândia, 2003, 112 min.)
19h30 – The World (Jia Zhang-ke, China, 2004, 140 min.)

Domingo, 05/10
14h30 – Love Will Tear Us Apart (Yu Lik-wai, Hong Kong, 1999, 114 min.), exibição em DVD.
17h – Tropical Malady (Apichatpong Weerasethakul, Tailândia, 2004, 120 min.)
19h30 – Millenium Mambo (Hou Hsiao-hsien, Taiwan, 2001, 119 min.)

Sinopses

All Tomorrow’s Parties, de Yu Lik-wai. Hong Kong, 2003 / Cor / 35mm / 96 min. / 16 anos. Dois irmãos são mantidos presos em campo de reeducação mantido pelo regime fascista que domina a China pós-apocalítica. Eles são liberados cinco anos depois e tentam redescobrir os prazeres da vida numa cidade industrial abandonada. Prêmio de fotografia no Festival de Buenos Aires.

Blissfully Yours, de Apichatpong Weerasethakul. Tailândia, 2002 / Cor / DVD / 125 min. / 16 anos. Banido da Tailândia e exibido em cortes em vários países asiáticos devido às cenas de sexo, o filme acompanha duas histórias paralelas: da mulher que não se satisfaz completamente no casamento e de uma jovem que se envolve com um imigrante ilegal na fronteira da Tailândia com Mianmar.

Invisible Waves (Ondas Invisíveis), de Pen-EK Ratanaruang. Tailândia, 2006 / Cor / 35mm / 115 min. / 14 anos. Depois de matar a namorada do chefe a pedido dele mesmo, cozinheiro foge de Macau para uma praia paradisíaca na Tailândia. Ele tenta reestruturar a vida, mas uma série de personagens e de infortúnios dificulta seus planos.

Last Life in the Universe (Última Vida no Universo), de Pen-Ek Ratanaruang. Tailândia, 2003 / Cor / 35mm / 112 min. / 14 anos. Kenji é um bibliotecário japonês em Bangkok. Ele está a ponto de se jogar de uma ponte quando testemunha a morte de uma garota. Neste momento, entra em sua vida a irmã mais velha dela, uma jovem imprevisível. Este é um dos filmes mais cultuados do cinema asiático contemporâneo.

Love Will Tear us Apart, de Yu Lik-wai. Hong Kong, 1999 / Cor / DVD / 114 min. / 14 anos. Diversos chineses chegam a Hong Kong com a esperança de vencer na vida. No lugar do sucesso, eles conhecem a frustração e acabam recorrendo a trabalhos inglórios. Primeiro filme como diretor do fotógrafo de The World e Xiao Wu – Artisan Pickpocket. Prêmio de fotografia em Estocolmo. 

Millenium Mambo, de Hou Hsiao-hsien. Taiwan, 2001 / Cor / 35 mm / 119 min / 16 anos. Vicky é uma jovem atraente. Ela trabalha em um clube noturno e se vê dividida entre dois homens. O primeiro é sustentado por ela. No outro, ela encontra um refúgio. Agraciado com o prêmio técnico em Cannes.

Samaria, de Kim Ki-duk. Coréia do Sul, 2004 / Cor / DVD / 95 min. / 16 anos. Uma jovem agencia a melhor amiga como prostituta. O trabalho rende até que a prostituta sofre um grave acidente. No leito de morte, pede um favor à amiga: ela quer ver novamente um homem por quem se apaixonou certa vez. Urso de Prata no Festival de Berlim.

Syndromes and a Century (Síndromes e um Século), de Apichatpong Weerasethakul. Tailândia, 2004 / Cor / 35mm / 105 min. / 14 anos. Na primeira parte o filme acompanha as experiências de uma jovem médica num hospital na área rural da Tailândia. Em seguida, as mesmas situações são vividas por um doutor na capital, Bangkok.

The World (O Mundo), de Jia Zhang-Ke. China, 2004 / Cor / 140 min. / 14 anos. O impacto da globalização na cultura chinesa é discutido por meio de um parque temático, na periferia de Pequim, no qual são reproduzidos os principais monumentos do mundo. A rotina de funcionários solitários e desiludidos conduz a trama. Premiado em Toronto.

Three Times (Três Monumentos), de Hou Hsiao-hsien. Taiwan, 2005 / Cor / 35mm / 132 min. / 14 anos. Os mesmos atores, um homem e uma mulher, vivem os papéis centrais em três épocas (1911, 1966 e 2005). Em cada história, o amor e a comunicabilidade se adaptam à época em questão.

Tropical Malady (Mal dos Trópicos), de Apichatpong Weerasethakul. Tailândia, 2004 / Cor / 35mm / 120 min. / 14 anos. Dividido em dois, o filme parte do romance entre soldado e homem do campo e termina com a ameaça de uma entidade secreta que irrompe das florestas. Prêmio do júri em Cannes e o da crítica em São Paulo.

Xiao Wu – Artisan Pickpocket, de Jia Zhang-Ke. China, 1997 / Cor / 35mm / 105 min. / 14 anos. Wu é um batedor de carteiras. Ao contrário de seus amigos, ele é incapaz de largar o mundo do crime e logo se vê solitário. Ao se apaixonar por uma prostituta, porém, Wu começa a pensar em seu futuro.

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo
Informações: (11) 3113-3651 / 3113-3652
http://www.bb.com.br/cultura

Cinema (70 lugares): R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia-entrada)
Sessões em DVD: entrada franca – mediante retirada de senha na bilheteria, a partir das 10h, no dia da sessão.
Sujeito à lotação da sala.
Aceita cartões de crédito Visa ou Mastercard, cheque ou dinheiro
Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física
Ar-condicionado
Opções de estacionamento na Rua Libero Badaró, próximas à Praça do Patriarca

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: