Festival CCJ Independente 2008 promove mês da cultura alternativa

Festival traz para o Centro Cultural da Juventude shows internacionais e nacionais, filmes, debates, workshops, performances e outras atividades, com entrada franca, durante todo mês de outubro

Apresentações de Hedluv & Passman (Inglaterra), Jazzbo (Alemanha), Tetine, Luisa Mandou um Beijo, Parteum, Sapobanjo, Patife Band, Rogério Skylab e Alice Ruiz e Alzira E.; debates com Heloísa Buarque de Hollanda, Ferréz e Clarah Averbuck e oficinas com o produtor norte-americano Victor Rice estão entre os destaques da programação

A terceira edição do CCJ Independente, festival de cultura alternativa realizado pelo Centro Cultural da Juventude em parceria com o Centro Cultural  e idealizado pela produtora cultural Karen Cunha, traz durante todo mês de outubro shows, palestras, filmes, debates, oficinas, performances, workshops e exposições, com entrada gratuita.

O aquecimento para o evento fica por conta do DJ Patife, lendário representante do drum`n`bass nacional, que foi escalado para comandar a festa do Dia da Música Eletrônica, comemorada no domingo (28/09), na pracinha do cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, em frente ao CCJ, às 15h, de graça.

Este ano o CCJ Independente traz cerca de trinta shows para o teatro do Centro Cultural da Juventude, a partir do dia 04 de outubro. Para inaugurar a programação musical foram convidados dois dos maiores festivais independentes do Brasil: Goiânia Noise e Coquetel Molotov (Recife). Após o debate sobre a cena independente no Brasil com os representantes de cada festival, a banda pernambucana Julia Says inicia os trabalhos sonoros na Vila Nova Cachoeirinha. No mesmo dia se apresentam Luisa Mandou um Beijo, Fóssil, Black Drawing Chalks, Pata de Elefante e Bazar Pamplona.

A música experimental e o ska são uns dos destaques do festival que recebe no domingo (19/10) o quinteto de ska jazz alemão Jazzbo e no domingo seguinte (26/10), direto da Cornwall (Inglaterra), a dupla Hedluv & Passman. Os garotos britânicos mostram que um minúsculo Casiotone dos anos 80, uma bateria eletrônica e letras bem-humoradas são suficientes para conquistar uma legião de fãs pelo mundo todo. O rei do Casiotone traz seu companheiro de rima Passman e outros convidados para uma apresentação única e repleta de referências aos antigos jogos da Nintendo (como Mario Bros), sua infância no sul da Inglaterra e sua forma bastante particular de fazer rap. O Tetine, de Bruno Verner e Eliete Mejorado, que faz música com artes visuais, performances e textos; e o expoente da Vanguarda Paulista que mistura punk rock com composição dodecafônica, Patife Band se apresentam antes dos ingleses.

Já a banda de ska jazz de Berlim foi formada há mais de uma década por ex-integrantes do Yebo, grupo de ska tradicional da Alemanha de 1979, e de outros grupos ícones da cena alemã como Engine 54, Butlers e Mother’s Pride. Ainda defendendo o ska (19/10), King Rassan Orchestra, Firebug e Sapobanjo. Os interessados no gênero também podem participar de um workshop no mesmo dia, às 13h. O baixista e produtor norte-americano Victor Rice, um dos maiores especialistas em ska das Américas, vai fala de suas experiências em How to Play Ska. Novaiorquino residente em São Paulo, toca e produz os melhores projetos e bandas de ska da atualidade. Tocou em grupos como os Scofflaws, Stubborn All-Stars e New York Ska-Jazz Ensemble. Produziu grupos como Slackers, Skavoovie & the Epitones, Pietasters, Articles, todos da extinta Moon Ska Records, Moon Invaders, Babylove & The Van Dangos e outros.

O domingo (05/10), dedicado ao Hip Hop, apresenta cinco exemplares da cena paulistana: Elo da Corrente, 1- Banddu, Ca Ge Bê, Pentágono e Parteum. Durante todo dia será realizada a cabine da rima, que abre o microfone para quem quiser mostrar seus versos nos intervalos dos shows. O Punk também será homenageado, no sábado (18/10), pelas bandas paulistanas Colisão Social, Revolta Popular, Ataque Urbano e Regicidas.

Divulgadores da cultura Sound System em São Paulo, Babylon One AKA Rev. Denis e Jurassic AKA Jurassico mostram ao público suas preciosidades da música jamaicana dos 60 e 70, período onde reinam ritmos como o ska, rock steady e o early reggae, domingo (19/10). Com acervos poderosos de selos como Studio One, Treasure Isle, Trojan e Pama entre outros, a dupla promove um verdadeiro “sound clash”, como são batizados os encontros e desafios pelo melhor repertório de DJs e Sound Systems.

O Coletivo Sinfonia de Cães – que também media um debate sobre as diferentes formas de ação independente, de cunho social e cultural e apresenta uma seleção de curtas do CCJ Independente – reúne as bandas Backseat Drivers, Popstar Acid Killers, Vincebuz e Andralls, no sábado (25/10). Encerrando a programação musical, no dia 31, seu Moisés da Rocha apresenta uma das maiores compositoras e interpretes da escola de samba Vai-Vai: Elizeth Rosa, integrante da Ala de Compositores da Vai-Vai e ganhadora do troféu de melhor intérprete do primeiro Festival de Samba de Quadra do Estado de São Paulo.

Entre as exposições, o desenhista e pintor Heavy exibe treze telas que resumem o espírito de sua obra, durante todo o mês de outubro. Heavy é conhecido por suas ilustrações densas e obscuras que estamparam capas de diversos discos de bandas de heavy metal da década de 80. Além das capas de disco o artista teve seus desenhos publicados em diversas revistas e fanzines.

Semana Temática da Literatura Independente – A terceira edição do CCJ Independente promove de 11 a 17 de outubro a Semana Temática da Literatura Independente. O projeto traz debates, palestras e workshops com intuito de discutir com os jovens a literatura independente e marginal e estratégias de criação e publicação que estão fora do mercado editorial.

Entre os destaques da atividade está a palestra sobre Literatura Marginal no Brasil ministrada pela professora titular da Escola de Comunicação da UFRJ, ensaísta, crítica literária, pesquisadora e editora Heloísa Buarque de Hollanda, no domingo, dia 12. A Semana da Literatura Independente conta também com as participações do escritor, roteirista e cronista Ferréz; da escritora que iniciou sua carreira literária como blogueira Clarah Averbuck e do escritor independente Marcelino Freire, entre outros.

O punk rock escatológico do cantor, escritor e compositor Rogério Skylab marca a abertura da Semana Temática de Literatura Independente, no dia 11, às 20h. Na ocasião, Skylab lança também o seu novo álbum Skylab VIII, que traz um pouco de suas obsessões de sempre: escatologia, mordacidade e morbidez. Letras surreais, experimentalismos sonoros e outras bizarrices são a marca registrada deste artista que já chegou a divulgar a própria morte em seu blog. A banda Elma, que faz metal com atmosfera punk sem usar os clichês do gênero e vozes, abre o show.

Durante a Semana Temática, o CCJ Independente exibe a exposição Manifestações Literárias Independentes e Marginais, uma coletânia de textos, revistas e livros de autores ligados a movimentos literários independentes ou marginais.

A poeta e compositora Alice Ruiz e a cantora, compositora e instrumentista Alzira E. encerram a Semana Temática da Literatura Independente com o show que mistura música e poesia, na sexta-feira, dia 17, às 20h. A organização da Semana Temática da Literatura Independente é de Dolores Biruel e a curadoria de Érica Peçanha do Nascimento.

Mostra de Longas Independentes – O CCJ Independente também promove sessões de cinema na mostra de longas independentes, entre os dias 1 e dia 30 de outubro. Destaque para os filmes Uma Mulher é uma Mulher (Jean-Luc Godard), Juno (Jason Reitman), Nove Rainhas (Fabián Bielinsky), The Day the Country Died – A História do Anarcopunk de 1980 a 1984 (Ian Glasper) e Pepi, Lucy. Bom y Otras Chicas (Pedro Almodóvar).

PROGRAMAÇÃO

28/10 (DOMINGO), 15h

AQUECIMENTO CCJ INDEPENDENTE + DIA DA MÚSICA ELETRÔNICA
DJ PATIFE E CONVIDADOS

Para comemorar o Dia da Música Eletrônica, o Centro Cultural da Juventude apresenta um dos maiores representantes do Drum´n´bass nacional: DJ Patife. A festa acontece na pracinha do cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, em frente ao CCJ.

SHOWS

04/10 (SÁBADO), a partir das 16h
retirar ingressos com 30 minutos de antecedência

ENCONTRO FUSÃO: CCJ INDEPENDENTE X COQUETEL MOLOTOV X GOIÂNIA NOISE

Inaugurando a sua programação de shows o CCJ Independente convida dois dos maiores festivais independentes do Brasil para uma troca de experiências: Goiânia Noise e Coquetel Molotov (Recife). Antes do show de abertura do CCJ Independente haverá um debate sobre a cena independente no Brasil com os representantes de cada festival.

JULIA SAYS (PE)

Mix de elementos eletrônicos, guitarra, sintetizadores e bateria fazem de Julia Says uma das bandas mais comentadas da atualidade.

FOSSIL (CE)

Grupo que explora experimentações sonoras, transmitindo um universo musical denso com a sutileza de ricos arranjos, conduzindo sua música para um terreno inexplorado. Mostrando, uma outra face da música instrumental brasileira.

BLACK DRAWING CHALKS (GO)

O elogiado quarteto goiano faz rock pesado que mistura as mais diversas influências até chegar num som cru e dançante.

PATA DE ELEFANTE (RS)

Influenciada pela sonoridade dos anos 60 e 70 (Jimi Hendrix, Cream, Beatles, Bob Dylan, The Who, The Band, Eric Clapton, The Ventures) e por compositores de trilhas sonoras para filmes como Henri Mancini e Ênio Morricone, a Pata de Elefante é um trio reconhecido pelas canções instrumentais que cativam o público.

LUISA MANDOU UM BEIJO (RJ)

Luisa mandou um beijo é uma banda independente do Rio de Janeiro que, ao longo de seus oito anos de vida, coleciona elogios da crítica no Brasil e no exterior.

BAZAR PAMPLONA (SP)

Considerada uma das maiores promessas da cena independente brasileira, o grupo é conhecido por suas letras bem-humoradas e o clima festivo de suas apresentações ao vivo que contam que diversos recursos como: alto-falantes, brinquedos, palminha de plástico entre outros.

HIP HOP

05/10 (DOMINGO), a partir das 14h

durante todo dia: cabine da rima

1- BANDDU

Formado por nego Wilha, DJ Digao, Br, Teto, Cigano e Cia Ltda. Com o intuito de se expressar uma nova tendência do RAP NACIONAL o grupo apresenta tudo o que absorveram durante a sua trajetória no movimento rap.

CA GE BÊ

Considerado um dos talentos mais promissores da nova geração do hip hop nacional,  o grupo já fez parceria com vários artistas desse cenário como o DJ QAP (SP Funk) que produziu o álbum de estréia  “Lado Beco”, lançado pelo selo Equilíbrio do DJ KL Jay (Racionais MC´s).

PENTÁGONO

Grupo de hip hop da Zona Sul de São Paulo, o Pentágono traz uma nova sonoridade para o rap. O grupo já figurou na programação da MTV, e seu clipe da música Na Moral foi um dos mais pedidos do gênero. Além disso, concorreram a diversos prêmios e ganharam o Hip Hop Top 2005 como melhor grupo revelação.

ELO DA CORRENTE
Formado pelos MCs Caio e Pitzan e o DJ PG (Maquinado e Mamelo Sound System), o trio é uma das grandes promessas do novo Hip Hop brasileiro. O grupo lançou na virada do ano seu elogiado disco de estréia produzido quase inteiramente pelo grupo. O álbum apresenta um rap fora do padrão, com letras de alto teor poético e beats com sonoridade influenciada pela MPB

PARTEUM

Seguindo a tradição de artistas lendários como Pete Rock, Diamond D, Large Professor, Madlib e Jay Dee, o rapper Parteum se expressa tanto nos beats quanto em seus elaborados versos. O som que sai das caixas aponta pra inovação, via batidas refinadas (em termos de cadência, estrutura e melodia), rimas com forma e conteúdo incomum, complexo (mas não complicado)

10/10 (SEXTA-FEIRA), 20h
retirar ingressos com 30 minutos de antecedência – 80 lugares

FUCK BERRY

A banda recentemente formada por Luiz Thunderbird (Devotos de NSA), Ricardo Kriptonita (Kriptonita), Gaspa (Ira!), Paulo Zinner (Golpe de Estado), faz versões totalmente livres e com letras em português de grandes clássicos do rockabilly mundial.

11/10 (SÁBADO), a partir das 20h

ELMA

Fazendo metal sem utilizar os clichês do gênero e criando uma atmosfera punk sem que se precise de vocal, o Elma é uma banda que vai de encontro a tudo que já se ouviu de heavy-metal no Brasil. Não tão viajante, mas tão lento, Elma é pesado e barulhento como uma mistura de Melvins e Pelican.

ROGÉRIO SKYLAB
O punk rock escatológico do cantor, escritor e compositor Rogério Skylab marca a abertura da Semana Temática de Literatura Independente. Na ocasião, Skylab lança também o seu novo álbum: Skylab VIII, que traz um pouco de suas obsessões de sempre: escatologia, mordacidade e morbidez. Letras surreais, experimentalismos sonoros e outras bizarrices são a marca registrada deste artista que já chegou a divulgar a própria morte em seu blog.

12/10 (DOMINGO), a partir das 14h

PROJETO 20 MINUTOS + DEVOTOS DE NOSSA SENHORA APARECIDA

O projeto 20 minutos é a oportunidade para trazer a sua banda para tocar no CCJ. Serão 14 bandas selecionadas para fazer um pocket show com duração de 20 minutos. Após este período um gongo anuncia a entrada de um novo grupo. Para encerrar um evento que acontece no dia 12 de outubro, nada mais apropriado do que o rock do grupo Devotos de Nossa Senhora Aparecida, do lendário Luiz Thunderbird, que também é responsável pela apresentação desta grande festa.

A performance mais empolgante do dia volta ao CCJ para abrir o show de uma banda surpresa no dia 14 de novembro. Inscreva-se a partir de 26 de setembro. Basta preencher a ficha na inscrição na recepção do CCJ ou baixar a sua pelo site http://centrodajuventude.prefeitura.sp.gov.br

17/10 (SEXTA-FEIRA), 20h

retirar ingressos com 30 minutos de antecedência – 50 lugares

ALICE RUIZ E ALZIRA ESPINDOLA

Encerrando a Semana Temática de Literatura Independente, a poeta e compositora Alice Ruiz e a cantora, compositora e instrumentista Alzira E. irão fazer uma apresentação que mistura música e poesia.

PUNK

18/10 (SÁBADO), a partir das 17h

não é necessário retirar ingressos

COLISÃO SOCIAL
Banda de punk rock e hardcore formada na década de 90 na Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo, com letras de protesto e questionamento social.

REVOLTA POPULAR
Banda anarcopunk que mistura em sua sonoridade o punk, a cultura indígena, a cultura negra e as idéias anarquistas.

ATAQUE URBANO
Banda punk formada em Carapicuíba.

REGICIDAS
Grupo de rap formado por punks. Um de seus integrantes produz também o fanzine “O Regicídio Está Por Vir”.

SKA

19/10 (DOMINGO), a partir de 15h

antes do show haverá exibição de filme e Workshops
retirar ingressos com 30 minutos de antecedência

KING RASSAN ORCHESTRA

Ska e rocksteady são os estilos predominantes do repertório desta banda que se dedica majoritariamente a retomar os antigos hits que embalaram a Jamaica na década de 60.

SAPOBANJO

Considerada uma das maiores bandas de ska do país, Sapo Banjo já dividiu palco com grandes nomes do cenário musical nacional e internacional como Buzzcocks e Less Than Jake.

Atualmente o Sapobanjo se apresenta com Maurício (bateria), Edu Z. (contrabaixo), Fábio Dexter (guitarra), Pipeta (trompete), Pokemon (trombone) e Mau (vocal)

FIREBUG

Firebug passeia pelos ritmos jamaicanos, como ska e dub, e inova o cenário reggae, trazendo novas influências ao palco, como levadas de rhythm n’ blues, surf music, rock steady etc. O grupo é uma das grandes promessas da música atual e já tem visibilidade no exterior.

JAZZBO (ALEMANHA)

Quinteto de ska jazz formado em Berlim há mais de uma década por ex-integrantes do Yebo (primeiro grupo de ska tradicional da Alemanha, formado em 1979) e de outros grupos ícones da cena alemã, como Engine 54, Butlers e Mother’s Pride.

http://www.jazzbo.de/

COLETIVO SINFONIA DE CÃES

25/10 (SÁBADO), a partir das 17h

POPSTARS ACID KILLERS + BACKSEAT DRIVERS

Os paulistanos do Backseat Drivers e do Popstar Acid killers, mostram um pouco do seu garage-punk-blues-rock, rápido, alto e barulhento.

VINCEBUZ + ANDRALLS

No segundo bloco de shows, o Vincebuz se apresenta em sua nova formação com duas baterias. Além de Douglas Demolição, a banda agora conta também com o batera Fernando Sioni.
O Encerramento fica por conta da banda Andralls, que desde 98 resgata o mais puro thrash metal dos anos 80.

MÚSICA EXPERIMENTAL

26/10 (DOMINGO), a partir das 15h

retirar ingressos com 30 minutos de antecedência

PATIFE BAND

Formada em 1983, a banda mistura punk rock com composição dodecafônica e representa um dos expoentes do movimento conhecido como Vanguarda Paulista que se somou a um movimento global de inovações ocorridas na década de 1980, principalmente nos países mais industrializados.

TETINE

Formada por Bruno Verner e Eliete Mejorado, é uma banda não apenas de músicos, mas de artistas. Artes visuais, performances e textos fazem parte de suas criações e dão iniciativa a novas tentativas de experimentações.

HEDLUV & PASSMAN (INGLATERRA)

Direto da Cornwall (Inglaterra), Hedluv mostra que um minúsculo Casiotone dos anos 80, uma bateria eletrônica e letras bem-humoradas são o suficiente para conquistar uma legião de fãs pelo mundo todo. O rei do Casiotone traz o seu companheiro de rima Passman e outros convidados para uma apresentação única e repleta de referências aos antigos jogos da Nintendo (como Mario Bros.), sua infância no sul da Inglaterra e sua forma bastante particular de fazer rap.

http://hedluv.co.uk/

31/10 (SEXTA-FEIRA), 20h

retirar ingressos com 30 minutos de antecedência – 80 lugares

SEXTA SONORA: O SAMBA PEDE PASSAGEM

Esta edição do Samba Pede Passagem, seu Moisés da Rocha apresenta uma das maiores compositores e interpretes da escola de samba vai-vai:  Elizeth Rosa. Nascida e criada no bairro do Bixiga, descendente de imigrantes italianos, sambista e compositora por paixão. Após ganhar concurso de Samba de Quadra na Escola de Samba Vai-Vai, uma das mais tradicionais do carnaval paulistano, Elizeth foi reconhecida como compositora e intérprete pela entidade e atualmente é integrante da Ala de Compositores da Vai-Vai. Em Agosto de 2001 recebeu o troféu de melhor intérprete do primeiro Festival de Samba de Quadra do Estado de São Paulo, com a música “Estrela Sampa”, de autoria de Elias Gomes, Daniel e Dr. Charles.

PERFORMANCE

19/10 (DOMINGO), 13h
SOUND SYSTEM: BABYLON ONE (AKA REV. DENIS) E JURASSIC (AKA JURASSICO)
Babylon One (AKA Rev. Denis) e Jurassic (AKA Jurassico) são divulgadores da cultura Sound System em São Paulo.  No CCJ, eles mostram ao público suas preciosidades da música jamaicana dos 60 e 70, período onde reinam ritmos como o ska, rock steady e o early reggae. Com acervos poderosos de selos como Studio One, Treasure Isle, Trojan e Pama entre outros eles promovem um verdadeiro “sound clash”, como são batizados os encontros e desafios pelo melhor repertório de DJs e Sound Systems. É ver pra crer e dançar até a última pedrada.

EXPOSIÇÕES

De 1/10 a 31/10, de terça a domingo, das 10h às 18h

HEAVY

Durante todo o mês de outubro, o desenhista e pintor Heavy exibe 13 telas que resumem o espírito de sua obra. Heavy é conhecido por suas ilustrações densas e obscuras que estamparam capas de diversos discos de bandas de heavy metal da década de 80. Além das capas de disco o artista teve seus desenhos publicados em diversas revistas e fanzines.

Convivência

De 12/10 a 25/10, das 10h às 20h (de terça a sábado) e das 10h às 18h (aos domingos)

EXPOSIÇÃO: MANIFESTAÇÕES LITERÁRIAS INDEPENDENTES E MARGINAIS

Coletânia de textos, revistas e livros de autores ligados a movimentos literários independentes ou marginais.

Biblioteca

ESPECIAIS

04/10 (SÁBADO), 16h
ENCONTRO FUSÃO: CCJ INDEPENDENTE X COQUETEL MOLOTOV (RECIFE) X GOIÂNIA NOISE

Os três festivais se encontram para uma troca de experiência e muita música. Cada festival se encarregou de indicar duas bandas. Goiânia Noise indicou Pata de Elefante (RS) e Black Drawing Chalks (GO), Coquetel Molotov indicou Julia Says (PE), FOSSIL (CE) e CCJ Independente indicou Bazar Pamplona (SP) e Luisa Mandou Um Beijo (RJ). Antes das apresentações haverá um debate onde cada festival contará um pouco da sua história e suas contribuições para a cultura independente brasileira.

04/10 (SÁBADO), 17h30

BATTLE WARRIORS

A batalha de Bboys será disputada segundo as regras do “7 To Smoke¨: 12 participantes disputam batalhas individuais e os perdedores voltam para o final da fila. O vencedor será aquele que acumular o maior número de vitórias, consagrando-se como o Guerreiro.

Organizador: Igor Stylo Loko/The Funk’s Men

Produção: Alex Stylo Loko/The Funk’s Men

Discotecagem: DJ Niko

De 11/10 a 17/10

SEMANA TEMÁTICA: LITERATURA INDEPENDENTE

O projeto Semanas Temáticas, que está em sua terceira edição, tem como proposta promover debates, palestras e workshops, com intuito de discutir com os jovens a literatura independente e marginal, uma literatura alternativa, com estratégias de criação e publicação que estão fora do mercado editorial. Para complementar a atividade, haverá o Café Cultural com Ferréz, Diálogos com o Marcelino Freire, uma exposição e um sarau literário, participação especial de Heloísa Buarque de Hollanda, finalizando com uma apresentação musical da Alice Ruiz com Alzira E. Organização de Dolores Biruel e curadoria de Érica Peçanha do Nascimento.

30/10 (QUINTA-FEIRA), 19h
INTERFLUXO – O SAMBA PEDE PASSAGEM

A terceira edição do Interfluxo, parceria entre o Centro Cultural da Juventude, o Centro Cultural São Paulo, tem como tema o samba. Um grupo da  zona norte de caráter mais tradicional e um da região central representando a evolução e as possibilidades de re-leituras do samba compõe o quadro de artistas convidados que gravarão programade entrevista nos estúdios do CCJ e se apresentarão no palco Adoriran Barbosa do CCSP. O show será transmitido ao vivo por ambas as web-rádios e os conteúdos das entrevistas postadas nos respectivos sites.

Grupos convidados para a terceira edição do Interfluxo:
KIKO DINUCCI E O BANDO AFROMACARRÔNICO
O grupo segue a trilha dos principais compositores de São Paulo como Adoniran Barbosa, Paulo Vanzolini, passando por Geraldo Filme, Raul Torres, entre outros. Além dos sambas, as composições (de Kiko e seus parceiros) percorrem diversas vertentes da cultura popular, como o cururu, a moda de viola, o batuque, o jongo, a congada, o lundu, o choro, e ainda ritmos africanos e afro-cubanos.

HELDER CELSO
Nascido em 22 de março de 1973, em São Paulo capital, integrou a ala musical, fazendo parte também da bateria, da tradicionalíssima escola de samba paulista: a Mocidade Camisa Verde e Branco, entre os anos de 1985 a 2001.
Local: Centro Cultural São Paulo (transmitido ao vivo para o CCJ)

24/10 (SEXTA-FEIRA), 19h

SARAU – VERBOS CUTOS

Apresentação performática poético-musical, criada por Bebeto Cicas e MaicknucleaR, baseada no antigo sarau “Viola na Vela”, originado e realizado no CICAS (Centro Independente de Cultura Alternativa e Social). Além de declamar, cantar e gritar suas idéias, a dupla traz alguns convidados para este grande encontro da literatura marginal independente. Após o sarau os alunos da oficina de Dj do CCJ mostram um pouco do que aprenderam com o mestre Xdee.

18/10 (SÁBADO), 17h

LANÇAMENTO DO CURTA: O PUNK MORREU?

A exibição será seguida do debate Debate aberto após a exibição do curta-metragem: “O Punk Morreu? – Moda Comercial ou Contra-Cultura?”

O PUNK MORREU?
(BRA, 2008, 15’) Dir: organização punk.
Curta-metragem que discute a questão da comercialização da estética e da música punk. Através de imagens, depoimentos e colagens de vídeo, o curta apresenta o que seria um “punk vendável e consumível”, contrapondo esta construção com a visão do punk que se aproxima da contra-cultura, do questionamento social e da ação direta. Uma produção punk faça-você-mesm@!

de 1/10 a 30/10

UTILIZAÇÃO DAS ILHAS DE EDIÇÃO

O Laboratório de Multimeios do CCJ disponibiliza suas Ilhas de Edição para finalização de trabalhos em audiovisual.

Os interessados devem solicitar os termos de agendamento pelo e-mail ccjredessociais@prefeitura.sp.gov.br  

Centro Cultural da Juventude – Laboratório de Multimeios

RÁDIO ESCUTA

O Laboratório de Multimeios do CCJ inicia gravações de programas musicais ou de debate para serem veiculados em sua web-rádio ( http://ccjuve.prefeitura.sp.gov.br ). É um trabalho de fomento às rádios independentes e de mapeamento de pessoas, grupos e núcleos que produzam conteúdos do gênero. Após gravação do programa, um CD é fornecido com o registro sonoro.  Durante o mês de outubro o jornalista Paulo Borgia faz a cobertura e uma série de entrevistas.

D

DEBATES

4/10 (SÁBADO), 16h

FESTIVAIS INDEPENDENTES

Membros dos Festivais CCJ Independente, Coquetel Molotov (Recife) e Goiania Noise debatem a importância dos festivais para o enriquecimento da cultura independente. Participação de Ana Garcia (Coquetel Molotov e Invasão Sueca), Fabricio (Goiânia Noise), Karen Cunha (CCJ Independente) e mediação de Fernanda Arantes.

11/10 (SÁBADO), 16h

INDEPENDÊNCIA, MARGINALIDADE OU RESISTÊNCIA? ESTRATÉGIAS DE PUBLICAÇÃO E CIRCULAÇÃO

Allan da Rosa, escritor, educador, radialista, cineasta comunitário e organizador do selo independente Edições Toró, voltado para a publicação da literatura periférica e financiado pelo VAI – Valorização de Iniciativas Culturais da Prefeitura de São Paulo. Eduardo Lacerda, poeta e produtor cultural, também é editor do jornal de literatura O Casulo (financiado pelo VAI), membro do coletivo de jovens escritores Vacamarela e um dos organizadores da FLAP! Festa Literária Alternativa. Esmeralda Ribeiro, jornalista, escritora e presidente da Quilombhoje Literatura, ONG responsável pela publicação dos Cadernos Negros: coletânea que há 30 anos divulga a produção literária afrobrasileira.

11/10 (SÁBADO), 18h

LITERATURA E WEB: OS MEIOS DE PUBLICAÇÃO EM TEMPOS DIGITAIS

Branco Leone, escritor, editor e criador da editora virtual Os Viralata, especializada na divulgação do trabalho de escritores independentes. Clarah Averbuck, escritora que iniciou sua carreira literária publicando em blog, é autora dos livros “Vida de Gato”, “Das Coisas Esquecidas Atrás da Estante”, “Máquina de Pinball”, entre outros. Olivia Maia, escritora e blogueira, é autora dos livros “Desumano” e “Operação P-2”.

12/10 (DOMINGO), 17h

CAFÉ CULTURAL – O QUE É LITERATURA MARGINAL?

O Projeto Café Cultural promove encontros mensais para troca de informações sobre diversas temáticas. Para o mês de outubro convidamos Ferréz, escritor, roteirista e cronista da Revista Caros amigos. É apresentador do quadro de entrevista Interferência no Programa Manos e Minas da TV Cultura e publicou diversos livros, entre eles “Capão Pecado” e “Manual Prático do Ódio”. Nos seus escritos, reivindica voz própria e dignidade para os habitantes das periferias das grandes cidades brasileiras.

18/10 (DOMINGO), 14h30

INTERNET: MÍDIA ALTERNATIVA OU MECANISMO DE CONTROLE?

Nildo Avelino, membro do Centro de Cultura Social, Núcleo de Sociabilidade Libertária da PUC/SP e doutor em ciência política; Aristeu Frost, membro do movimento anarco-punk de sp e distribuidora resistência punk di favela; Diego Duenhas, ativista, anarco-punk, membro da editora independente “Imprensa Marginal”. A difusão da ideologia punk desde o surgimento dos zines, panfletos e pixações até o surgimento da internet e suas comunidades virtuais.

18/10 (DOMINGO), 16h

“O PUNK MORREU? – MODA COMERCIAL OU CONTRA-CULTURA?”

Mediação: Centro de Cultura Social

O bate-papo será antecedido pelo lançamento do curta-metragem “O Punk Morreu?”.

25/10 (SÁBADO), 14h

FAÇA VOCÊ MESMO

Mediação: Coletivo Sinfonia de Cães

Debate sobre diferentes formas de ação independente, de cunho social e cultural.

TEATRO

Os alunos do teatro vocacional, projeto realizado pela Secretaria Municipal de Cultura, apresentam seus espetáculos durante todas as terças de outubro sempre às 20h.

CINEMA

Mostra de Longas Independentes

1/10 (QUARTA-FEIRA), 20h

NOVE RAINHAS (Nueve Reinas)

(Argentina, 2000, 115’) Dir: Fabián Bielinsky. Com: Ricardo Darín, Gastón Pauls

História de dois picaretas portenhos que planejam dar o golpe de suas vidas: roubar nove selos raríssimos, conhecidos como as Nove Rainhas.

2/10 (QUINTA-FEIRA), 20h

O GRANDE CHEFE (Direktoren for Det Hele)

(Dinamarca, 2006, 99’) dir: Lars von Trier. Com: Jens Albinus, Iben Hjejle e Lars von Trier.

O dono de uma empresa criou um chefe fictício para respaldá-lo em decisões impopulares junto aos funcionários. Porém, quando ele decide vendê-la, os futuros compradores fazem questão de negociar com este chefe.

8/10 (QUARTA-FEIRA), 20h
QUERO SER JOHN MALKOVICH (Being John Malkovich)

(EUA, 1999, 112’) Dir: Spike Jonze. Com: Cameron Diaz, John Cusack, John Malkovich.

Um homem descobre uma porta que leva direto à mente de John Malkovich, onde pode permanecer por 15 minutos.

15/10 (QUARTA-FEIRA), 20h

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS (Eternal Sunshine of the Spotless Mind)

(EUA, 2004, 108’)Dir: Michel Gondry. Com Jim Carrey, Kate Winslet, Kirsten Dunst

Após sua ex-namorada fazer um tratamento experimental para esquecê-lo, um homem decide se submeter ao mesmo processo. Porém ele acaba invertendo a situação, encaixando a ex-namorada em situações de sua vida as quais ela não esteve presente.

16/10 (QUINTA-FEIRA), 20h
VIAGEM À DARJEELING (The Darjeeling Limited)

(EUA, 2007, 91’) Dir: Wes Anderson. Com: Owen Wilson, Jason Schwartzman, Bill Murray

Três irmãos que não se falam há um ano concordam em realizar uma viagem de trem pelo interior da Índia. Precedido pelo curta-metragem Hotel Chevalier (2007), também dirigido por Wes Anderson.

18/10 (SÁBADO), 14h

THE DAY THE COUNTRY DIED – A HISTÓRIA DO ANARCOPUNK DE 1980 À 1984

(Inglaterra, 2006, 92’) Dir: Ian Glasper.

Documentário sobre a história e surgimento do anarcopunk na Inglaterra, com depoimentos de diversas bandas e indivíduos que estiveram diretamente envolvidos, tais como Crass, Subhumans, Conflict, Rubella Ballet, Flux of Pink Indians, entre outros.

19/10 (DOMINGO), 13h

SONS DE UMA NOITE DE VERÃO – A RETOMADA DO SKA NO BRASIL

(Bra, 2007, 74’) Dir: Fuego Produções

Caprichado documentário que compila os melhores momentos, entrevistas e depoimentos do projeto Sons de Uma Noite de Verão, promovido pela Radiola Records em janeiro de 2006. Participam grupos como Slackers, Desorden Público, Chris Murray, Victor Rice, Kongo, Djangos, Móveis Coloniais de Acaju e Trenchtown Rockers.

22/10 (QUARTA-FEIRA), 20h

UMA MULHER È UMA MULHER (Une femme est une femme)

(França, 1961, 85 ‘) Dir: Jean-Luc Godard. Com:Anna Karina, Jean –Paul Belmon e Jean-Claude Brialy

Uma dançarina de cabaré tenta convencer seu marido a engravidá-la, ao mesmo tempo em que reflete sobre sua vida. Um dos grandes clássicos do mestre Godard, uma aula estética sobre cinema e um dos grandes marcos iniciais do movimento da Nouvelle Vague.

23/10 (QUINTA-FEIRA), 20h

JUNO

(Canadá, 2007, 96’) Dir: Jason Reitman. Com: Ellen Page, Michael Cera e Jennifer Garner.

Uma adolescente decide ter o bebê que espera e dá-lo a um casal que tenha condições de criá-lo, já que não se considera em condições de ser uma boa mãe.

29/10 (QUARTA-FEIRA), 20H

DOWN BY LAW

(EUA, 1986, 103′) Dir: Jim Jarmusch. Com: Tom Waits, John Lurie, Roberto Benigni.

Três desajustados se encontram em uma cadeia de Nova Orleans e tem que aprender a conviver juntos. Cult-movie e um dos mais importantes filmes do cinema independente americano dos anos 80

30/10 (QUINTA-FEIRA), 20h

PEPI, LUCY. BOM Y OTRAS CHICAS

(Esp, 1980, 82’) Dir: Pedro Almodóvar. Com: Carmen Maura, Alaska, Eva Siva. 18 anos

Primeiro filme de Almodóvar a fazer carreira comercial, trata-se de uma alegoria na qual três mulheres de diferentes idades, que vivem em Madri, passam por situações das mais bizarras na era punk espanhola.

25/10 (SÁBADO), 18h
Mostra  Sinfonia de Cães

O coletivo sinfonia de Cães apresenta uma seleção de curtas:

– Periferias Paulistas (Documentário – 10′)

– Oficinas Culturais Sinfonia de Cães 2007 (Documentário – 8′)

– Festival Sinfonia de Cães (Registros – 5′)

– Vídeo-clipes independentes (Diversos – 25′)

– Prostitutas à Cavalo (10′)

WORKSHOPS
4/10 (SÁBADO), 14h30
PALESTRA: A INDÚSTRIA FONOGRÁFICA E A CULTURA INDEPENDENTE NO BRASIL.

Com Eduardo Vicente, Doutor em Comunicação, Professor no Curso de Audiovisual e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da ECA/USP, além de pesquisador nas áreas de Música Popular e Indústria Fonográfica.

60 vagas

19/10 (DOMINGO), 13h

HOW TO PLAY SKA
O baixista e produtor norte-americano Victor Rice é um dos maiores especialistas em ska das Américas. Novaiorquino residente em São Paulo, ele há mais de uma década toca e produz nos melhores projetos e bandas de ska da atualidade. Tocou em grupos como os Scofflaws, Stubborn All-Stars e New York Ska-Jazz Ensemble. Produziu grupos como Slackers, Skavoovie & the Epitones, Pietasters, Articles, todos da extinta Moon Ska Records, Moon Invaders, Babylove & The Van Dangos e outros.

inscrição na recepção – 20 vagas

25/10 (SÁBADO), das 16h às 17h
WORKSHOP DE BATERIA: LIBERDADE EXTREMA

Os bateristas de duas das bandas mais representativas do trash nacional da atualidade, Didi Fernandez (SUBTERA) e Alexandre Brito (ANDRALLS), demonstram alguns de seus truques e técnicas.

Teatro de Arena

25/10 (SÁBADO), 14h
PERCUSSÃO

Oficina de percussão com materiais recicláveis e reaproveitados ministrada por Alex Emídio e Renato Roitman.

Arena – 20 vagas

25/10 (SÁBADO), 14h

FANZINE

Confecção de uma pequena revista com textos, colagens e ilustrações coordenada por Karina Lopes.

Ateliê – 20 vagas

12/10 (DOMINGO), das 15h às 16h30

PALESTRA: LITERATURA MARGINAL NO BRASIL

Palestra sobre diferentes movimentos e expressões literárias marginais no Brasil com a professora titular da Escola de Comunicação da UFRJ, ensaísta, crítica literária, pesquisadora e editora Heloísa Buarque de Hollanda.

Biblioteca – 80 vagas

17/10 (SÁBADO), às 18h30

DIÁLOGOS COM MARCELINO FREIRE

O projeto Diálogos promove encontros mensais com personalidades dispostas a compartilhar suas experiências com público jovem. Em outubro o convidado é o escritor independente Marcelino Freire, com uma literatura forte e intrometida, ele foge dos padrões literários. Autor de livros como “eraOdito”, “Contos Negreiros” e “Racif”, organizou “Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século” e a série “Paralelepípedos”. 

Biblioteca – 50 vagas.
inscrições na recepção.

14/10 (TERÇA-FEIRA), das 14h às 18h

WORKSHOP: LITERATURA PERIFÉRICA E CRIAÇÃO LITERÁRIA

A trajetória de um escritor periférico e os caminhos da produção literária, com Alessandro Buzo, escritor com cinco livros lançados, arte-educador, agente cultural e apresentador do quadro Buzão – Circular Periférico no programa Manos & Minas da TV Cultura. Ao final do workshop, os participantes produzirão fanzines para integrar a exposição sobre literatura independente.

Sala 11 – 25 vagas

15/10 (QUARTA-FEIRA), das 17h às 21h

WORKSHOP: COMUNICAÇÃO, INFORMAÇÃO E LITERATURA NO MUNDO DOS BLOGS

Qual o papel dos sites e blogs na divulgação da informação e da literatura? Como montar um blog? Essas e outras questões serão respondidas neste workshop ministrado por Ana Carolina Lementy, jornalista, blogueira e gerente júnior de uma agência independente de comunicação corporativa.

Biblioteca – 12 vagas

CCJ INDEPENDENTE 2008

De 01/10 a 31/10
CENTRO CULTURAL DA JUVENTUDE

Avenida Deputado Emílio Carlos, 3.641 – Vila Nova Cachoeirinha

Tel.: 11 3984.2466

Grátis

Como chegar ao CCJ:

Ônibus:
Largo do Paissandu / Centro

9563 Pedra Branca (35 min)

9501 Terminal Cachoeirinha (30 min)

Táxi Executivo Pedra Branca (20 min)

Metrô Barra Funda

117Y Cohab Jd. Antártica (20 min)

978l Terminal V. N. Cachoeirinha (30 min)

Pinheiros / Teodoro Sampaio

117x Cohab Jd. Antártica (40 min)

Carro: Marginal Tietê / Ponte da Fraguesia do Ó / Av. Inajar  de Souza / Av. Deputado Emílio Carlos

Anúncios

1 comment so far

  1. […] Festival traz para o Centro Cultural da Juventude shows internacionais e nacionais, filmes, debates, workshops, performances e outras atividades, com entrada franca, durante todo mês de outubro. Mais infos, aqui. […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: