Os retratos falante de Paulo Fridman

Livro do fotógrafo, editado pela DBA, com apresentação de Arnaldo Antunes, é lançado na Galeria Vermelho

Munido de uma câmera e folhas de papel em branco, o fotógrafo Paulo Fridman – exímio retratista prestigiado nacional e internacionalmente –, partiu para um de seus trabalhos autorais. Com uma espécie de estúdio ambulante, começou a fotografar pessoas nas ruas, pedindo que elas respondessem, nas folhas em branco, a três perguntas: Quem é você? O que você pensa do futuro do Brasil? Qual é o seu sonho?

No primeiro dia desta experiência, que começou em 1999, na Vila Madalena e no Largo da Batata, em São Paulo, uma velhinha que catava latas na rua topou fazer parte do trabalho. Surpreendentemente respondeu às três questões em um bom português e identificou-se: Maria…, ex-professora e advogada. Neste momento Fridman percebeu que tinha começado um projeto de vida.

Retratos Falantes, obra em aberto que o fotógrafo realiza há nove anos, ganha agora  versão em livro editado pela DBA, com texto de Arnaldo Antunes e projeto gráfico do artista Artur Lescher. A publicação reúne cerca de 70 dos 300 personagens colecionados pelo fotógrafo, de 1999 a 2008. Composições de retratos e textos ou desenhos, contendo as respostas das três questões colocadas, transformam fisionomias anônimas e registros de seus respectivos desejos em poemas visuais.

Como indaga Antunes: se uma imagem vale mil palavras, o que vale a palavra quando também se torna uma imagem? “A manuscrita presentifica as palavras em realidades icônicas que, dispostas sobre os rostos, acentua o desvelamento de cada uma dessas pessoas”, afirma o músico e poeta. Em seu texto ele chama atenção para a inocência com que as pessoas se entregam às lentes de Fridman, ressaltando a beleza como elemento da verdade.

“No começo eu criava as composições no laboratório, artesanalmente, uma experiência que foi importante para trilhar uma concepção plástica, ao lado do caráter social que eu queria alcançar com este projeto”, explica Fridman. O fotógrafo, que continua a trabalhar em diferentes regiões de São Paulo e também em outras cidades, reuniu muito de suas “imagens depoimentos” em épocas de eleições. “Estas perguntas costumam ficar candentes nas cabeças das pessoas nestas épocas férteis para questionamentos”, afirma.

Esta série, que já nasceu premiada no concurso Brasil na Virada do Século, em 2000, foi finalista do Adobe Digital Context e faz parte dos acervos da Library of Congress em Washington, e do MAM-SP, foi também exibida na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em recorte com curadoria de Diógenes Moura, em 2004.

Retratos Falantes
Paulo Fridman
Editora: DBA
Preço:  R$ 52,00 
Formato:18 x 23cm, 132 páginas, português/inglês, capa dura
Patrocínio: Tetra Pak via Lei Rouanet
Lançamento: 7 de outubro, às 19h30
Local: Galeria Vermelho
Rua Minas Gerais , 350  SP – Fone: 11. 3257 2033

Anúncios

1 comment so far

  1. Mariana on

    O livro “Retratos Falantes”, do fotógrafo Paulo Fridman, tem projeto gráfico assinado não só por Artur Lescher, mas também por Amanda Dafoe.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: