Stereoteca em SP

Nos próximos dias 13 e 14 de outubro o projeto Stereoteca realiza seis shows no renomado Teatro Oficina, com Érika Machado, Natália Mallo, Letícia Coura, Adriana Capparelli, Monno e Transmissor, criando intercâmbio entre alguns dos principais artistas mineiros da nova geração e a cena musical de São Paulo
A primeira edição paulista do projeto Stereoteca (cuja terceira edição está sendo realizada em Belo Horizonte), um dos mais bem sucedidos projetos musicais de Minas, acontece em São Paulo pela primeira vez nos dias 13 e 14 de outubro. No dia 13, segunda-feira, quatro cantoras tomam conta do Stereoteca SP: Érika Machado, Letícia Coura (ambas mineiras), Natália Mallo (argentina radicada em São Paulo) e Adriana Capparelli (paulista). No dia seguinte, as bandas belo-horizontinas Monno e Transmissor, revelações da cena indie mineira, apresentam o melhor do rock independente produzido no Estado.

O Stereoteca, projeto que com patrocínio da Natura e da Vivo (via Lei Estadual de Incentivo à Cultura) ganhou as já tradicionais noites de quarta-feira em Belo Horizonte, movimentando a cena musical mineira e injetando fôlego no mercado fonográfico independente, agora realiza sua primeira edição em outro Estado. O projeto estabelecerá um intercâmbio entre artistas mineiros e paulistas, que se revezarão entre o Teatro da Biblioteca, na Praça da Liberdade, e o célebre Teatro Oficina, que completa 50 anos em 2008, no tradicional bairro Bela Vista, reduto do diretor José Celso Martinez.  “É uma honra poder fazer o Stereoteca no Oficina justamente no ano em que comemoram 50 anos de existência desse que é um dos pilares da cultura contemporânea nacional”, relata a produtora Danusa Carvalho.

Ao ampliar sua programação para novas regiões, o Stereoteca tem como objetivo intensificar seu papel na consolidação do mercado independente, atingindo novo público, estendendo seu formato e o alcance de suas ações.

Em 2008, além dos shows no charmoso teatro da Biblioteca Pública Luiz de Bessa (a preços populares) na Praça da Liberdade, em BH, o Stereoteca vem movimentando a cena musical, injetando fôlego no mercado fonográfico através da realização de 24 shows de lançamento de CD´s, do Seminário Prático da Música e, agora, estendendo sua programação até São Paulo.

Veja a programação completa do Stereoteca e conheça mais sobre o projeto no site: http://www.stereoteca.com.br.

ARTISTAS DO STEREOTECA SP

Érika Machado
“O jeito que eu escolhi para enxergar o mundo à minha volta fica estampado nas coisas que faço, e acredito que a visão de cada indivíduo sobre qualquer coisa, por mais simples que seja, possa nos trazer qualquer surpresa, e nos ajudar a pensar sobre um novo ponto de vista, abrir frestas para outros caminhos…”
Após receber diversos prêmios com seu álbum de estréia, No Cimento, e de receber o prêmio de Artista Revelação da Associação Paulista dos Críticos de Arte, a mineira Érika Machado lança seu novo CD, mostrando em canções extremamente pessoais como fazer boa música pop sem cair na banalidade.
erikamachado.com.br

Natália Mallo
Desde que chegou ao Brasil há mais de uma década, Natália Mallo vem fazendo seu disco de estréia. Qualquer lugar é a quinta versão do trabalho solo de uma argentina que já veio sem o sotaque portenho e com o tempo aprendeu a perder o sotaque das influências musicais. Foi-se apenas o sotaque, pois como ela própria diz “no meu disco você ouve tudo o que eu ouço”.
O trabalho de Natália até então se dividia entre o pop, o conceitual e a síndrome de underground, que não se permite fazer um trabalho mais comercial, temendo estar preocupando-se mais com a forma do que com o conteúdo. Mariá Portugal, outra integrante do TP4, que assina a co-produção de Qualquer lugar, veio para trazer distanciamento, dar pitacos, eliminar acordes. Sua parceria foi essencial na concepção estética do disco.
myspace.com/nataliamallo

Letícia Coura
Mineira de BH, Letícia Coura é cantora, compositora e atriz e está em São Paulo desde 1991, onde desenvolve trabalhos em teatro e música.  Gravou dois discos solo e desde 1999 faz parte do trio Revista do Samba, que já possui três discos gravados.
O trio já se apresentou na Europa, nos Estados Unidos e no Oriente Médio e ao vivo cria atmosferas festivas, carnavalescas e de gafieiras, interpretando as canções de modo a criar uma ponte entre o passado, o presente e o futuro.
myspace.com/leticiacoura

Adriana Capparelli
Cantora, compositora e atriz. Sua carreira sempre esteve ligada ao teatro, principalmente produções musicais. Nos últimos anos Adriana, além de começar a compor com mais intensidade, se dedicou principalmente ao teatro. Atuou em oito espetáculos em cinco anos. Metade deste tempo dedicado quase que exclusivamente à criação do épico musical OS SERTÕES, no Teatro Oficina, como cantora, atriz e compositora.
Lançou dois CDs: Pequeno circo íntimo, homenagem a Aldir Blanc, em 2000; e Bem mais perto, no qual prevalece é a voz e a interpretação, a poesia, a maneira mais próxima de cantar as palavras escolhidas.  Palavras escolhidas de Clarice Lispector, Torquato Neto, Caetano Veloso, Zé Miguel Wisnik, Plínio Marcos, da parceira Letícia Coura e das compositoras Vanessa Bumagny e Natalia Mallo.

Monno
O primeiro EP da banda mineira foi lançado de forma independente em 2006 e arrebatou excelentes elogios da mídia especializada, tendo sua tiragem de 1000 esgotada. A banda vem participando intensamente da cena da música nacional, passando pelos “festivais indies” Calango, em Cuiabá, Laboratório Pop, no Rio de Janeiro, Gig Rock, em Porto Alegre, Bananada, em Goiânia, e até pelo “festival mega” Pop Rock Brasil, em Belo Horizonte. Por onde a passa a banda sempre conquista novos admiradores, sendo considerada uma das novas bandas mais promissoras em 2007 pela revista Bizz, ficando mais de uma vez destaque no site Tramavirtual e na coluna “Acontece” da Rolling Stone Brasil (agosto de 2007).
Seu novo CD, Agora, apresenta uma banda mais madura, imersa na busca por novas concepções e texturas sonoras, à procura de formas ousadas e interessantes de retratar o que vivemos.
monno.com.br

Transmissor
Nascido de um projeto de Leonardo Marques e Thiago Corrêa enquanto tocavam na banda Udora, nos Estados Unidos, o Transmissor ganhou vida quando os músicos voltaram para o Brasil e recrutaram amigos (membros das bandas Mordeorabo e Cinza) para participar da empreitada. Com influências que vão desde o Clube da Esquina até os canadenses indie do Broken Social Scene, o Transmissor apresenta músicas com identidade própria que podem ser ouvidas no disco de estréia, intitulado Sociedade do Crívo Mútuo.
myspace.com/transmissor

STEREOTECA 2008
O Stereoteca 2008 tem levado aos palcos da Biblioteca a diversidade de estilos dos artistas mineiros, com destaque para o público de mais de 2 mil pessoas que participou dos últimos shows. Ao todo, foram 24 shows de lançamento de CDs realizados pelo projeto ao longo do ano. Além dos shows, a programação do Stereoteca ainda incluiu o 1º Seminário Prático da Música, a edição paulista do projeto e 4 festas itinerantes: StereoRap, StereoRock, StereoSamba e StereoBlack.

“O grande interesse do público e credibilidade no meio musical e na imprensa, marcas do projeto em suas edições anteriores (2006 e 2007), são a base a partir da qual o Stereoteca vem se firmando como uma referência da cena independente mineira”, explica a idealizadora do projeto, Danusa Carvalho, da Casulo Cultura. Segundo ela, o formato extensivo e regular do Stereoteca, com shows todas as semanas, tem proporcionado de fato a formação de público. “Para os músicos, representa a oportunidade de um show com excelentes condições técnicas, divulgação adequada, com site, material gráfico e assessoria de imprensa, além de recursos para uma boa produção”, completa.

Seminário / Consultoria Virtual – O Stereoteca promoveu em junho, em BH, o 1º Seminário Prático da Música, evento de formato inédito e original. Doze projetos, escritos pelos participantes do seminário, foram selecionados para uma consultoria virtual – reuniões pela internet, em tempo real, via MSN, Skype e um chat específico no site do SEBRAE – com os palestrantes do seminário ao longo dos meses de julho e agosto. Nesse período, foram assessorados de modo a desenvolver suas propostas com a ajuda de profissionais renomados das áreas de produção executiva, produção artística, distribuição e comunicação, como Paulo Junqueiro (Emi Music); Luiz Pimentel (MySpace, UOL, Vírgula); Eduardo Ramos (Trama, Slag Records); Reinaldo Pamponet (Eletrocooperativa); entre outros.
O resultado dos trabalhos foi apresentado em setembro, na Feira do Empreendedor do SEBRAE MG.

Meio Ambiente / Campo Neutro – O Stereoteca 2008 desenvolve também uma iniciativa de responsabilidade ambiental para o setor cultural. O projeto “Campo Neutro” fará o plantio de árvores e o acompanhamento do seu ciclo de crescimento a partir da contabilidade de CO2 que é emitido por todas as etapas do Stereoteca. É uma parceria entre a Casulo Cultura (realizadora do Stereoteca), a Ambiente e Gestão em Sustentabilidade, a BIO3 Meio Ambiente, e o Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Site / Compartilhamento – Com a proposta de ser um festival colaborativo e antenado com as novas tecnologias, o site do Stereoteca (stereoteca.com.br) traz uma ferramenta livre de edição e publicação de vídeos e fotos que são feitos pelo público durante os shows. Lá, o internauta encontra também a “Coletânea Stereoteca”, uma playlist especial com músicas dos artistas participantes e convidados.

Curadoria – Danusa Carvalho e o jornalista Kiko Ferreira assinam a curadoria que, ao garimpar os melhores lançamentos independentes do ano, reconhecem talentos ao mesmo tempo em que apostam no novo. A idéia é promover um panorama da produção musical de qualidade no estado. “Queremos fazer a conexão entre a urgência do rap e a cadência da nova mpb, entre a aglomeração do samba com as invenções da cena indie, reunindo, numa mesma programação, nossas melhores tradições regionais, passando pela música pop, até as mais ousadas experimentações com a música eletrônica e o rock underground”, explica Danusa.

BALANÇO EDIÇÕES ANTERIORES – Nas duas edições anteriores (2006 e 2007) foram 34 apresentações, sendo 12 lançamentos de CDs, com participação de cerca de 60 artistas, acompanhados de 220 músicos, com público total de 6.200 pessoas.

Entre os projetos parceiros das duas primeiras edições, figuram o portal Overmundo, o coletivo Espaço Cubo (MT) a Associação Favela é Isso Aí (BH), os Festivais Jambolada (Uberlândia) e Hip Hop in Concert (BH). No centro dos debates, estiveram temas como jornalismo cultural, cultura no terceiro setor, música fora do eixo, produção colaborativa na internet.

SERVIÇO
Natura e Vivo apresentam Stereoteca SP
Data: 13 e 14 de outubro, segunda-feira e terça-feira
Local: Teatro Oficina – Rua Jaceguai, 520, Bexiga, São Paulo/SP
Horário: 21h
Ingressos: R$ 5,00
Contato: (11) 3104.0678 / (31) 3222.3242 / contato@stereoteca.com.br
Patrocínio: Vivo e Natura

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: