Archive for the ‘galeria’ Tag

Mulheres às terças

A Galeria Augôsto Augusta oferece, nas terças-feiras, três cursos sob a responsabilidade do Prof. Jorge Coli. São independentes entre si mas têm, como eixo, a representação feminina nas artes.

1º) As mulheres e a ópera. A ópera constitui um campo privilegiado de estudo sobre as paixões no feminino. Vítimas ou traiçoeiras, de La traviata a Parsifal,  tensões, arroubos, sacrifícios, vinganças, apresentam grandes movimentos emotivos que podem, e devem, ser analisados em filigrana.

2º) Representações do feminino nas artes visuais do século XIX e XX. Propõe-se um mapeamento do lugar consagrado às mulheres nas artes do período, seja como artistas, seja como representações. Do confinamento disciplinar no gineceu, da convenção que determina funções de procriação no domínio do lar, ao erotismo intenso ou aos fantasmas mais ameaçadores, é possível retraçar o papel representado pelas imagens femininas no período.

3º) Estrelas, personagens, arquétipos: mulheres e mitos no cinema: O cinema fixa alter egos de seres reais, os atores. Particularmente no caso feminino, a mítica cinematográfica projeta, contra o tempo, fascínio, beleza, talento, que adquirem uma dose de eternidade. Incorporam as “boas múmias”, de que falava Bazin. As mulheres no cinema são fotografias em movimento, são construções imaginárias intensamente desejadas, são modelos de comportamento, são núcleos poderosos de perturbações e de inquietações.

Serviço:
3ªs. feiras : ÓPERA  –  das 14h15 às 16h15  –  R$ 250,00 por mês
ARTES VISUAIS – das 16h30 às 18h30  R$ 250,00 por mês
CINEMA  – das 19h00 às 22h30 –  R$ 290,00 por mês
Início de 11/03 até 24/06/2008

AUGÔSTO AUGUSTA CULTURAL
R. Augusta 2161, São Paulo – SP
Tel: 3082 1830

Anúncios

SP recebe uma exposição ilustrada

Inaugurando a programação de 10 anos da galeria Gravura Brasileira a exposição “Ilustrada” vai mostrar ilustrações, livros de artista, xerox, animações em dvd, pinturas, serigrafias e uma instalação dos artistas Andrés Sandoval, Apo Fousek, Daniel Caballero e Fábio Zimbres. A mostra vai trazer para o espaço da galeria o universo da ilustração e das artes gráficas. Curadoria de Eduardo Besen.

Abertura: 15 de janeiro, terça-feira, 19h00 às 22h00.
Período de exposição: de 16 de janeiro a 16 de fevereiro de 2008.
Local: GRAVURA BRASILEIRA
Rua Fradique Coutinho, 953, Vila Madalena, ao lado da livraria da Vila
Fones: 3097.0301 e 3097.9193
Horários: segunda-feira a sexta-feira: 10/18hs e sábado: 11/14hs
mais imagens e informações:
www.cantogravura.com.br
http://www.andressandoval.com/
http://apofousek.zip.net
http://www.fzimbres.com.br/
www.carbona.art.br

O olhar seletivo de Ricard Akagawa na Raquel Arnaud

A partir de uma seleção feita por Ricard Akagawa, o Gabinete de Arte Raquel Arnaud apresenta a partir do dia 14 de dezembro de 2007, às 20 horas, a exposição “OLHAR SELETIVO”.

Sobre a exposição, diz Raquel Arnaud: “A seleção de obras dessa mostra coletiva foi feita por meio de um olhar seletivo e experiente de Ricard Akagawa. É uma nova experiência do Gabinete, que tem, dessa forma, algumas respostas do nosso público. Ricard é um amante das artes e acompanha a trajetória da arte contemporânea. Ele esteve presente em praticamente todos os momentos importantes – na abertura de mostras, em palestras e em simpósios – não só do nosso Gabinete, como também de várias exposições na cidade e no mundo. Com tantos anos de dedicação à arte, acabou se tornando amigo de vários artistas, como Sergio Camargo, Mira Schendel, Carlos Cruz-Diez e Arthur Luiz Piza. Mais do que tudo, Ricard é um amigo da arte e dos que fazem arte”.

Ricard Akagawa, além de apreciador das artes, é empresário e escolheu obras do acervo da galeria para preparar essa coletiva que põe luz em obras de Waltercio Caldas, Arthur Luiz Piza, José Resende, Frida Baranek, entre outros.

A inauguração para convidados será dia 13 de dezembro às 20h, e a abertura para o público, dia 14 de dezembro ás 10h.

Gabinete de Arte Raquel Arnaud
Rua Artur Azevedo, 401
CEP 05404-010
São Paulo – SP
Fone: 11 3083 6322
www.raquelarnaud.com
Abertura para o público dia 14/12, às 10h.
Segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h.

Julio Le Parc e Jasper Krabbé expõem em SP

Depois de sua última individual na Nara Roesler, em 2001, Julio Le Parc (1928, Argentina) volta à galeria com 20 obras, entre trabalhos históricos e recentes. O artista que também está em cartaz na exposição O(s) Cinético(s), no Instituto Tomie Ohtake, é um dos poucos latino-americanos a ganhar um Grande Prêmio na Bienal de Veneza, o que aconteceu em 1966, quando tinha 38 anos, na mesma época em que realizava a sua primeira individual em Paris, na Galeria Denise René.

Segundo Sheila Leirner, Le Parc criticava os artistas construtivos e cinéticos da época que utilizavam a eleição livre das formas e a sua expansão fortuita na superfície e no espaço. “Ligava-se a Denise René, Vasarely, Vantongerloo, Morellet e outros, para fazer investigações visuais sobre a superfície, as ordenações regulares, a homogeneidade das conformações e das relações entre elas, a seqüência progressiva de figuras, cores e posições”, diz a crítica.

A trajetória do artista passa rapidamente pela Argentina, seu país de origem, mas se faz praticamente em Paris, de onde sai toda a sua produção. Forma, em 1959, o G.R.A.V. – Group de Recherche D’Art Visuelle – com Morellet, Sobrino, Yvaral e Stein, que chegou a expor em São Paulo, em 1964, na Fundação Armando Álvares Penteado.

É um artista extremamente ativo, não só com sua arte, mas na relação com o mundo. Nas décadas de 60 e 70, Le Parc teve uma extraordinária atuação política, de esquerda, contra os governos militares da América Latina e na defesa do regime socialista de Cuba, onde formou um atelier para a participação do povo na arte. Fiel a suas posições, boicotou várias exposições por questões políticas, inclusive a Bienal de São Paulo de 1969, realizada logo após o AI-5, atitude tomada por artistas de todo o mundo, inclusive brasileiros.

No mezanino, o projeto Roesler Hotel traz obras do artista holandês Jasper Krabbé (1970, Amsterdã). São pequenas pinturas que podem ser vistas como como remanescências de um processo de recordação. Ao pintar camadas de aquarela muito finas sobre uma base seca, o artista transmite ao espectador um sentido de perda. Os fundos são deliberadamente instáveis, uma gota d’água poderia dissolver a imagem… ou uma rajada de vento poderia varrer a imagem para fora da tela; e com isso um sentimento de impermanência é instaurado na tela.

No ato de recordar há uma certa melancolia em relação aos tempos perdidos e isso também é inserido no trabalho. Segundo o artista, o formato pequeno utilizado nesta série sugere intimidade, mas apresenta um lado prático também, pois a maior parte das imagens é produzida enquanto ele viaja e registra fragmentos de seu entorno.

Nos trabalhos desta exposição, Jasper conta que tinha em mente as as gravuras japonesas de Ukiyo-e (um estilo de arte popular no Japão durante o período Edo, que normalmente representava cenas do cotidiano). “Ukiyo” significa mundo flutuante, um irônico trocadilho com o termo budista que designa o plano terreno ou “mundo doloroso”.

Para o artista, o termo “mundo flutuante” é muito apropriado, pois nada é estável e tudo permanece em estado de fluxo constante.”Assim são as minhas imagens: algumas derivam de sonhos, outras brotam da memória de pessoas que conheci, viagens que fiz, lugares que vi”, completa.

Galeria Nara Roesler
Abertura: 6 de dezembro de 2007, às 20h (convidados)
Público: 7 de dezembro a 31 de janeiro 2008
Av. Europa, 655 – São Paulo. Tel./fax: 3063-2344
De segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 15h.
Site: www.nararoesler.com.br / E-mail: galeria@nararoesler.com.br

Hospedaria Carioca inaugura espaço cultural

Galeria reúne trabalhos recentes de artistas plásticos, fotógrafos e designers

Ipanema ganha um novo espaço dedicado à arte. Nesta sexta-feira, 30, abre as portas, na sobreloja do Quartier Ipanema, a Galeria da Hospedaria Carioca, um espaço-piloto dedicado à exposição e venda da produção recente de artistas plásticos, fotógrafos e designers integrantes do movimento cultural. O novo espaço funcionará em caráter provisório, do dia 30 de novembro ao dia 31 de dezembro.

A Galeria será dedicada a exposições coletivas e multidisciplinares, seguindo o espírito da Hospedaria Carioca, que é o de fazer dialogar as diferentes correntes artísticas. Entre os nomes que integram a primeira formação da Galeria estão o designer de móveis Zanini de Zanine, o fotógrafo Murillo Meirelles e os artistas plásticos Antonio Breves, Antonio Bokel – que também assina o lay out da vitrine externa, voltada para a Rua Maria Quitéria, e Michel Mendes, além de designers de jóias e criadores da nova geração.

O espaço também oferecerá uma linha de itens do tipo “lojinha de museu”, com objetos criados pelos demais integrantes da Hospedaria Carioca e t-shirts “de arte” assinadas pelos fashion designers das marcas Soul Seventy, Theodora, Fábia Bercsek e D’ Obra.

A Hospedaria Carioca é um movimento coletivo de resgate da gentileza e da hospitalidade que fizeram do Rio de Janeiro um lugar amado e respeitado no mundo todo. É um movimento espontâneo, e independente, que se propõe a atuar, de forma simultânea, sob duas vertentes: organizar fóruns de discussão que busquem encontrar caminhos para que o Rio volte a ser um dos melhores lugares no mundo pra se viver; e ser um laboratório permanente de idéias que tornem esses caminhos mais curtos.

Serviço
Galeria na Hospedaria Carioca
Rua Maria Quiteria, 77 loja 224
Ipanema, RJ.

29 horas de arte orgânica

Viver a arte como um organismo essa é a proposta de evento 29 horas de arte orgânica, além de unir o máximo de artistas para uma grande mostra e uma ação coletiva onde haja diálogo entre várias linguagens.

Performance, projeções, fotografia, colagem, música se encontram no 29 horas de arte orgânica que acontece dia 01 de dezembro no Galleria:musica.comida.arte.vida, que tem como objetivo reunir arte à culinária vegetariana e orgânica.

Lúcio Agra, Otávio Donasci, Daniel Seda (dos coletivos NeoTao, Zaratruta), Luciana Costa (Zaratruta, M&M Não é Confete), Homem Refluxo (trabalho do jo rnalista Marcos D´Ávila), Leila D, Samira Br e Rogerio Borovik (ambos do NeoTao) são algumas atrações do evento. Além das atrações gastronônicas, desgustação de queijos orgânicos e de vinhos orgânicos italianos e do lançamento de vinho brasileiro com a palestra sobre o assunto com Marcelo Celentano, membro do Intituto Sommelier de Milão.

PROGRAMAÇÃO

Dia – 01.12.2007
00:00 – Mais Zero – Performance de ABERTURA
00:30 – Arthur Matuck – Performance Literaria
00:30 – LEITOS…MEMÓRIA TATUADA – Naira Ciotti e Erhi Araújo
01:00 – Uma Viagem com A Video Criatura Imersiva de Otavio Donasci
01:30 – Dj – BretFlute
02:00 – Dj – Marcelinho – Beatch Choro

EXPOSIÇÕES
O HOMEM REFLUXO – Peri Pane
ARFOC – FOTOGRAFIA
ERIK THURM – COLLAGE
FOTOS – Zaida Siqueira
ARTE PIZZA SUSTENTAVEL – Alfredo Bazzali

INSTALAÇÕES
ZONA DESCONHECIDA – Leila D
VIDEO INSTALAÇÃO – Sergio Basbaum

VIDEOS
Ondina Castilho e Victor Lema Rique
Samira Br e Rogerio Borovik
Anahi Santos e Ana Goldenstein

Início da manhã
11:00 – CONTANDO HISTORIAS – SR. NAFITALINA – Marcio Araújo
12:00 – DEGUSTAÇÃO DE PATES DE TOFU ORGÂNICOS
13:00 – Degustação
14:00 – FERNANDO Fernando de Carvalho e Sa Brito
15:00 – Programação Infantil
16:00 – Performance: ABRINDO CAMINHOS NO PLANETA-CORPO; DESCUBRA-SE – Amanda Lunar (40min.)
17:00 – PALESTRA COM Marcelo Celentano, menbro do Intituto Sommelier de Milão, consideraddo um dos mais respeitados conhecedores de vinhos orgânicos da Europa, DEGUSTAÇÃO DE VINHOS ORGÂNICOS ITALIANOS E LANÇAMENTO Do VINHO ORGANICO BRASILEIRO Carbenet Salvignon do RS.
17:30 -Performance INSOMNIE : CHANSON ‘A UNE JEUNE FEMME – Ana Rizek Sheldon
18:00 – SKETCH de CLOWN – El Dentista – Trupe Semearte com Paulo Perez e Tiago Tognozi 20″
19:00 – SHOW – Dani Lasalvia
19:30 – SHOW – VOZES BUGRAS
20:00 – SHOW – NOP (percussão corporal)
21:00 – Play Mate – Camila Canto
21:00 – Momentos de Improviso com Clerouak e Paulo Federal
22:00 – Cinema de Guerrilha
23:00 – A Fome do Mundo com Tom Wil e Luz Marina – Poesia devorada pelo teatro, musica e cinema.

Dia 02.12.2007
00:00 – NAMAHAIKU – Haikai ao Vivo – Almir Almas, Cheli Urban, Daniel Seda
01:00 – A MULHER BOMBA – Luciana Costa
01:30 – Desfile Virtual – Daniel Seda
DJ – BretFlute

SERVIÇO:
29 HORAS DE ARTE ORGÂNICA
01 de Dezembro de 2007, a partir das 00 hora.
Local: Galleria: musica.comida.arte.vida
Rua Capital Federal, 440 – SP, Perdizes
Ingressos:
manhã – 3,00;
tarde – 5,00;
noite – 8,00

Pintor argentino expõe na Thomas Cohn

SOJO é um jovem (35 anos) pintor argentino. Curiosamente, não registra exposições no circuito de galerias do seu país, mas apenas no México, onde residiu durante um tempo.

A galeria Thomas Cohn tem seguido sua trajetória por vários anos e o expôs na Feira ArteBA 2007. Sua obra mais recente, incorporando ironicamente figurinhas zoomórficas a contextos artísticos clássicos, levou a Cohn a propor essa mostra para o público.

A exposição será montada no mezanino da galeria. No térreo continua a exposição “5+1” com obras importantes de mestres como Baselitz, Polke, Penck e Lüpertz, que nesta época de Bienal vazia foi inesperadamente esnobada pela maioria da imprensa especializada.

Galeria Thomas Cohn
Av. Europa, 641 –Jardim Europa
Fone : 3083-3355
De 24 de novembro a 20 de dezembro de 2007
3a à sexta das 11 às 19h
Sábados das 11 às 18h