Archive for the ‘lançamento’ Tag

Pré-venda: Calvin & Haroldo – Criaturas Bizarras de Outro Planeta!

Postagem no Correio prevista para 10/11/2008
* Data sujeita a alteração *

Com 40 semanas em primeiro lugar nas listas de mais vendidos com os quatro primeiros títulos, a Conrad continua a publicação completa das histórias de Calvin e Haroldo com o álbum Criaturas Bizarras de Outro Planeta!, quinto título da série publicado pela editora. Criada em 1985, a tirinha foi publicada diariamente, durante dez anos, em mais de 2.400 jornais ao redor do mundo. Os álbuns publicados por Bill Waterson, criador da dupla, venderam mais de 30 milhões de cópias. A Conrad pretende publicar dois livros por ano com as tirinhas de Calvin e Haroldo, seguindo o formato original dos álbuns, com tradução inédita – uma edição definitiva para uma obra que agrada todas as idades.

A tirinha conta a história de Calvin, um hiperativo garoto de seis anos cujo maior amigo é o tigre de pelúcia Haroldo – que ganha vida quando não existe nenhum adulto por perto. Ao lado das fantasias e brincadeiras da dupla, surgem questões sobre política, cultura, sociedade e a relação de Calvin com seus pais, colegas e professores, com a sabedoria que os tolos adultos só conseguem traduzir como ingenuidade.

Autor:
Nascido em 5 de julho de 1958 em Washington, EUA, Bill Waterson ficou famoso mundialmente como o criador da tirinha Calvin & Haroldo. Formado em Ciências Políticas, trabalhou durante seis meses como chargista político no jornal Cincinatti Post. Inspirado em Charles Schulz, começou a publicar as tirinhas de Calvin e seu inseparável tigre de pelúcia em 18 de novembro de 1985 – e parou no dia 31 de dezembro de 1995. Ganhou duas vezes o Reuben Awards, principal prêmio para cartunistas norte-americanos. Waterson também é conhecido por ser relutante no licenciamento de produtos relacionados a Calvin e Haroldo – não existem canecas nem lancheiras oficiais de Calvin, por exemplo.

Os pedidos podem ser feitos na loja da Conrad.

Anúncios

A vida imita a arte

Roberto Schultz lança Segredo e Fim, seu primeiro romance que retrata personagens que nos remetem às situações reais

arq_540_9022O realismo literário foi a forma encontrada pelo escritor Roberto Schultz para contar a historia de seu primeiro romance, Segredo e Fim,lançamento da Editora Novo Século. Com o estilo direto e sem muitos adjetivos, imortalizado por escritores como o americano Ernest Hemmingway e pelo brasileiro Rubem Fonseca, o gaúcho dá vida a personagens comuns, colocados à prova em situações extraordinárias.

O escritor, também advogado, apaixonado pela literatura, leitor e discípulo confesso de Fonseca, cria em sua obra personagens que poderiam ser nossos amigos, conhecidos ou nós mesmos, já que conta suas histórias a partir do próprio ponto de vista, porém, de forma visceral.

O enredo

A história se passa no início dos anos 70, quando uma mulher casada, Lis, se apaixona por um homem solteiro. Apesar de se entregarem à paixão, a história é interrompida pelo moral vigente na época e pela vida familiar de Lis que vê, no amor que sente pela sua única filha, a impossibilidade de romper o casamento.

Trinta anos depois, por conta de uma doença grave da mãe, a filha de Lis vai ao seu encontro e acha uma velha caixa de charutos com lembranças e cartas trocadas pelos amantes. E é justamente essa filha, Liciane, que serve como elo entre aquele passado e o presente.

Unidos pelo amor de Herbert e Lis, inúmeras personagens se entrecruzam e surgem à trama, que se transforma em uma colcha de retalhos de sentimentos nada convencionais.

Mas, para Roberto Schultz, o amor nem sempre se mostra de maneiras óbvias. Cada capítulo é quase uma história independente, com início, meio e fim. Nenhum dos seus personagens são politicamente corretos. Todos são pessoas de verdade. Prostitutas, picaretas nacionais e vigaristas estrangeiros, gente simples do povo, mulheres desprezadas e assassinos são alguns dos estereótipos que retratam o mundo em que vivemos de forma objetiva e sem perder a poesia quando ela se faz necessária.

Liciane é apresentada como uma mulher que deseja aprender a amar. Pedro, seu irmão, é um mau-caráter que tenta descobrir se Herbert é o seu verdadeiro pai. Ernesto, um ceramista temperamental e apaixonado, cujo grande ídolo é Astor Piazzola. O negro Antônio Pillar foi palhaço na juventude mas se transformou em um homem frio e violento. Além desses, o autor ainda apresenta um personagem chamado “O Árabe” (que não é árabe de verdade), e que vive em uma constante procura de um amor de mãe para a sua filha, e Dagomir, um médico nordestino de origem holandesa, que se envolve em tramóias relacionadas ao gás natural. Esses e tantos outros personagens vão surgindo na trama e envolvendo o leitor até às páginas finais do romance.

Sobre o autor

O advogado Roberto Schultz é gaúcho e mora em Porto Alegre (RS), mas faz questão de ser lido não como um autor “regional” do Sul e sim como um autor brasileiro. Ex-professor Universitário da Cadeira de Ética e Legislação em cursos de Propaganda e Comunicação Digital, publicou três livros de contos: O Coro do Vento (EDUNISC, 2001); O Amor dessa Mulher (LITERALIS, 2002); Margaridas Forjadas (EDUNISC, 2003), o livro de história empresarial FAMASTIL 50 ANOS – Uma História Abençoada pelo Trabalho (Ed. da Empresa, 2003) e O Publicitário Legal, Ed. QUALITYMARK, 2005, única obra do gênero no Brasil e que também inaugura esse ramo do Direito.

O livro Segredo e Fim pode ser encontrado nas livrarias: Cultura, Saraiva, Siciliano e FNAC (SP). O preço sugerido é R$ 35.

FICHA TÉCNICA
SEGREDO E FIM
Autor: SCHULTZ, ROBERTO
Editora: NOVO SECULO
Livro em Brochura
1ª Edição – 2007 – 272 pág.

Rivotrill faz show de lançamento de disco

“Não tenho qualquer dúvida que a Rivotrill estará predestinada ao sucesso. É fácil ser fã desses meninos cheios de mágica e de encanto. Há aqui experiências de som, de acordes, de ritmos; é claro, há sempre algo de novo, a cada instante, a cada momento. É um convite irrecusável ouvir a Rivotrill.”
(Raimundo Carrero)

Esse trio inusitado já tem muita experiência quando o assunto é tocar e fazer música. Eluizo Junior, Rafael Duarte e Lucas dos Prazeres formam a banda Rivotrill e lançam no dia 25 de janeiro, no Teatro de Santa Isabel o CD “Curva de Vento”, primeiro registro oficial do grupo, realizado com apoio da CHESF.

O disco contou com participações de Naná Vasconcelos, Fabinho Costa, Spok, Renata Rosa e Yuri Queiroga que assina a produção musical junto com a Rivotrill. Estes mesmos convidados especiais participam do show gratuito de lançamento de “Curva de Vento” junto ao elogiado trio de músicos no palco do Santa Isabel.

Rivotrill faz música instrumental com bom humor e qualidade, mesclando o som do contrabaixo elétrico a elementos de sopro e percussão, com uma costura instigante de composições autorais. Sem perder a sua principal característica que é a inovação, a banda tem forte influência da música erudita, do rock dos anos 70, do jazz e de ritmos afro-brasileiros.

Eluizo Junior no sax, flautas e teclado, Rafael Duarte no contrabaixo elétrico e Lucas dos Prazeres na percussão formam juntos um trio interessante de se ver e principalmente de se ouvir. Em 2007, a Rivotrill se apresentou no Festival Rec-Beat, no Festival de Música Instrumental de Guarulhos (SP), no 17° Festival de Inverno de Garanhuns e na Feira da Música de Fortaleza, sempre recebendo ótimas críticas da imprensa e do público.

LANÇAMENTO DO CD “CURVA DE VENTO”
SHOW COM A BANDA RIVOTRILL
Participações Especiais: Naná Vasconcelos, Yuri Queiroga, Renata Rosa, Spok e Fabinho Costa
Data / Horário: Sexta-feira – 25 de Janeiro – 20h
Local: Teatro de Santa Isabel – Praça da República – Santo Antônio
Entrada Gratuita
Mais informações: www.rivotrill.com.br

Humor para a criançada

A Matrix Editora acaba de lançar o divertido Proibido para Maiores – as melhores piadas para crianças, um livro gostoso para ler em qualquer lugar e que vai fazer a criançada dar um monte de risadas.

Além das piadas, a obra conta com adivinhações que os pequenos vão adorar.

Sobre o autor

Paulo Tadeu é mestre em humor faz um bom tempo. Ele adora contar piadas para o seu filho Guilherme. O autor tem diversos livros publicados, mas quase todos são para adultos. Ele também é um dos Irmãos Bacalhau, que escrevem o site de humor http://www.irmaosbacalhau.com.br

Proibido para Maiores – 80 páginas
Autor: Paulo Tadeu
Lançamento: Matrix Editora
Preço: R$ 14,90

2008 promete discos pra todos os gostos

Além de In rainbows, do Radiohead, que ganhou versão física em cd e vinil agora em janeiro, o mundo da música tem novidades marcadas para os quatro primeiros meses. Veja a lista de lançamentos:

Janeiro
Cat Power – Jukebox (ou The covers record II, como tem sido chamado)
The Mars Volta – The bedlam in goliath

Fevereiro
Hot Chip – Made in the dark
Lenny Kravitz – It’s time for a love revolution

Março
The Kills – Midnight boom
Cavalera Conspiracy – ainda sem título definido
Moby – Last night

Abril
The Breeders – Mountain battles
Andreas Kisser – álbum solo, ainda sem título
Weezer – Tout ensemble
Madonna – ainda sem título definido
Portishead – ainda sem título definido
REM – Accelerate

O menino que queria ser celular é lançado

Livro traz a história de um garoto de sete anos que gostaria de ter mais atenção dos pais, a ponto de sonhar em se tornar um celular

O que levaria uma criança de sete anos desejar ser um celular? Os autores Marcelo Pires e Roberto Lautert explicam o motivo na obra que trata do relacionamento entre pais e filhos. O livro O Menino que Queria ser Celular deixa uma mensagem importante para todos os pais e mães: é preciso participar sempre da vida dos filhos, pois eles são mais importantes do que o trabalho.

Muitas vezes, as pessoas deixam a família de lado e se dedicam integralmente ao dia-a-dia agitado do emprego. O Menino que Queria ser Celular ilustra de uma forma sensível o quanto a ausência de diálogo e proximidade dos pais pode afetar uma criança. A tristeza do protagonista da história chega a tal ponto que ele prefere deixar de lado sua vida para se transformar em um telefone.

A determinação do menino é notável. Ele chega a ligar para o serviço de informações de uma empresa de celular para ver se realizam seu desejo. Sem sucesso, ele busca uma aproximação com os celulares da casa e descobre que pode se comunicar com eles!

O garoto fica espantando quando o telefone de seu pai, o ‘Celular dos Celulares’, fala que já recebeu mais de um milhão de pedidos de crianças que também queriam virar celular. Por isso, eles decidem enviar uma mensagem para todos os pais do mundo: “Hoje, pra variar, ligue-se no seu filho…Desligue o celular”

O menino que queria ser celular
De: Marcelo Pires e Roberto Lautert
64 págs.
Preço: 26,40.
Editora Melhoramentos, 2007.

John Wayne em livro

O maior caubói do cinema ganha um tributo em livro. Escrito por Primaggio Mantovi, o livro O centenário de John Wayne traz mais de trezentas imagens, uma caderno especial colorido, fotos de filmes importantes do astro, além de uma análise de sua carreira.

Lançado pela Mythos Editora, o livro é uma boa maneira de descobrir um pouco mais sobre o lendário astro norte-americano.

São Paulo revela seu lado gay

Guia mostra segredos e curiosidades do mundo gay, reunindo os melhores bares, restaurantes, casas noturnas e roteiros de lojas

Uma das maiores indústrias de entretenimento para o público GLS da América Latina está em São Paulo. Sozinha, a cidade recebeu, na última “Parada”, cerca de 3,5 milhões de pessoas (Gays, Lésbicas e Simpatizantes) que, de uma forma geral, procuravam bares, boates, saunas, cinemas, festas e circuitos alternativos na cidade.

Para desvendar alguns segredos desse mundo, a Publifolha lança o Guia GLS – São Paulo, o primeiro 100% voltado a esse público e escrito pelo jornalista Sérgio Ripardo. Nele estão relacionados locais (como pontos turísticos, hotéis, restaurantes, bares e clubes) e sugestões úteis ao visitante disposto a decifrar a cidade de forma rápida, aproveitando ao máximo suas opções.

Os capítulos apresentam o calendário turístico da cidade, mês a mês, os passeios e programas culturais mais interessantes, os clubes noturnos mais badalados, as melhores ruas para compras, os restaurantes e bares mais amigáveis, uma seleção de hospedagens, os serviços de segurança e transporte, além de uma lista de expressões e gírias para entender melhor os códigos da cultura gay e suas principais tribos.

Sérgio Ripardo, que escreve sobre a temática gay desde maio de 2005, explica que em São Paulo é cada vez maior a lista de instituições, empresas e estabelecimentos antenados com a necessidade de garantir uma convivência pacífica, tolerante e agradável de seus públicos, independentemente de suas orientações sexuais. “Isso não aconteceu por acaso. Desde 1997, uma vez por ano, a cidade realiza uma expressiva manifestação pró-diversidade. Mais de 30% dos seus milhões de participantes se declaram heterossexuais. A “Parada” é a maior do mundo desde 2004 e se firmou como evento turístico relevante ao município e ao comércio.”

Além de guia, com dicas de passeios, programas culturais, compras, gastronomia, hospedagem, noite e transporte, destacando inclusive opções de cada região da cidade, o Guia GLS – São Paulo pode ser usado como fonte de informação sobre o público gay.

O segmento do sexo, por exemplo, chega a funcionar em regime 24h, como algumas saunas e cinemas de sexo, com atividade mais intensa nas vésperas de feriado, quando a cidade recebe maior número de turistas, além de moradores da Grande São Paulo e do interior.  Antes vivendo na penumbra e em círculos restritos, algumas saunas e clubes de sexo começaram a se apresentar, criando sites e divulgando suas localizações – muitas em bairros nobres, de perfil discreto, como Higienópolis, Perdizes, Aclimação, Vila Mariana e Brooklin.

Sérgio Ripardo diz que durante o levantamento dos dados, os proprietários dos estabelecimentos procurados se mostraram, em sua maioria, muito receptivos à proposta do guia de indicar lugares onde não se discrimina tratamento, onde o público GLS é bem-vindo, sem riscos de sofrer preconceito, censura ou deboche. “Mas houve também alguns casos (poucos) de quem pediu para ficar de fora, alegando principalmente ‘medo de mal-entendidos e de rótulos’.”

Guia GLS – São Paulo
Autor: Sérgio Ripardo
Editora: Publifolha
136 páginas
R$ 34,90
O livro pode ser adquirido nas principais livrarias, pelo televendas 0800-140090 ou pelo site www.publifolha.com.br

Sobre o autor
Sérgio Ripardo é jornalista e escreve sobre temática gay desde maio de 2005, quando assumiu a função de editor de Ilustrada da Folha Online e criou a coluna semanal Destaques GLS. Começou a trabalhar no Grupo Folha em janeiro de 2000. Durante cinco anos, foi responsável pela cobertura on-line do mercado financeiro na Bolsa de Valores de São Paulo. Antes, trabalhou nos dois maiores jornais de Fortaleza (CE), O Povo e Diário do Nordeste, onde foi repórter especial. É formado em comunicação social pela Universidade Federal do Ceará.

John Coltrane em livro

Assim como Kind of Blue, a obra-prima de Miles Davis, A Love Supreme, de John Coltrane, é sem dúvida um dos álbuns de jazz mais influentes da história. Gravado na noite de 9 de dezembro de 1964 em uma única sessão com o pianista McCoy Tyner, o baixista Jimmy Garrison e o baterista Elvin Jones, a suíte em quatro partes captou a cristalização do renomado quarteto de Coltrane, pouco antes da fase final e mais comentada da carreira do saxofonista, e o ápice de sua expressão espiritual por meio da música.

Coltrane já era um colosso do jazz, aclamado pela crítica, pelos colegas e pelo público, quando o lançamento de A Love Supreme o alçou ao posto de herói espiritual e musical para toda uma geração de músicos e ouvintes de jazz.

A Love Supreme – A Criação do Álbum Clássico de John Coltrane, de Ashley Kahn, revela a criação do disco, onde foi gravado, o porquê de sua importância e como ele atingiu um público tão vasto. Abordando diferentes aspectos que envolveram sua concepção e gravação, além das idéias de Coltrane, e costurando-os com preciosas entrevistas com a família Coltrane e com parceiros do saxofonista e dezenas de fotos e imagens, o livro é, ao mesmo tempo, um retrato apaixonado e revelador da gravação, uma biografia habilidosa e exata, um contextualizador cultural e uma análise musical.

Entremeando seus seis capítulos, cinco seções curtas, ou interlúdios, ajudam a situar essa importante obra: o surgimento e a persistência do Impulse Records, o engenheiro de som Rudy Van Gelder e seu estúdio, o poema epônimo e sua única apresentação na íntegra.

Ashley Kahn presta uma homenagem a um álbum que se tornou um manifesto espiritual e tocou incontáveis ouvintes ao mesmo tempo em que retrata um artista, sua carreira e seu triunfo.

“Por que um livro inteiro devotado a apenas um álbum? Porque, como Ashley Kahn deixa claro, esse álbum tem raízes profundas – no passado de Coltrane, na vivência negra americana e em diversos aspectos do mercado musical – e longos galhos – seu impacto em músicos e fãs de toda parte. Kahn nos leva para dentro do processo de planejamento e produção do disco, da gravação e edição até seu projeto gráfico e marketing.”
– Lewis Porter, Rutgers University, autor de John Coltrane: His Life and His Music.

Ashley Kahn é jornalista de música, produtor de rádio, professor e autor de Kind of Blue – A História da Obra-Prima de Miles Davis e The House That Trane Built: The Story of Impulse Records. Foi editor de música na VH1, editor-chefe da Rolling Stone: The Seventies e um dos principais colaboradores da Rolling Stone Jazz & Blues Álbum Guide. Escreveu artigos para o New York Times, Rolling Stone e Mojo. Ele vive em Fort Lee, New Jersey, nos EUA.

A Love Supreme – A Criação do Álbum Clássico de John Coltrane
Ashley Kahn
Tradução de Patrícia de Cia e Marcelo Orozco
Editora Barracuda
288 páginas
R$ 44,00

Estórias Gerais, de Flavio Colin, chega às livrarias

Álbum com dois mestres dos quadrinhos brasileiros traz história do sertão mineiro inspirada por Guimarães Rosa

Estórias Gerais é uma fábula brasileira, um épico passado no sertão mineiro, uma história de conflitos, traições, romances e descobertas, aliando nossos mitos e lendas à mais profunda realidade nacional, reunindo o expressivo traço do mestre Flavio Colin com o refinado argumento de Wellington Srbek.

Produzido em 1998, o álbum ganhou tradução e publicação espanhola em 2006 (Edicions De Ponent). Chega agora ao grande público em edição especial, com papel reciclado (com o apoio cultural da indústria de papel Miguel Forte S/A), uma estória nova colorida e um depoimento inédito de Colin.

Na década de 1920, dois grupos de bandoleiros se enfrentam no vilarejo de Buritizal, à margem oeste do rio São Francisco, no norte de Minas Gerais.O bando de Manoel Grande se vê frente a frente com o de Antonio Mortalma, que aterroriza a população local. No encalço dos dois, está o coronel do Exército Odorico Pereira. Mortalma, diz o povo, se não é o próprio Demo, na certa tem parte com o Coisa-Ruim. E o jovem jornalista Ulisses de Araújo, enviado da capital ao sertão para apurar a estória do terrível Mortalma, vê-se metido no meio do conflito.

Estórias Gerais presta homenagem a cada um dos mestres das nossas artes – de Guimarães Rosa a Dias Gomes, passando ainda por Suassunas, Buarques de Hollanda, Cabrais de Melo Neto, traduzindo a nossa tradição de grandes contadores de histórias para os quadrinhos, no sofisticado roteiro de Srbek. Roteiro que ganha vida nas mãos de Colin, com seu traço personalíssimo, dinâmico e detalhado, revelando um Brasil que é, ao mesmo tempo, mito e realidade.

Os Autores

Wellington Srbek (Belo Horizonte, 1974), roteirista e editor independente, formado em História e pesquisador de quadrinhos com doutorado em Educação, é ganhador de cinco prêmios HQ Mix e de dois prêmios Angelo Agostini.

Flavio Colin (Rio de Janeiro, 1930-2002) começou a atuar em quadrinhos na década de 1950 e já teve seus trabalhos publicados na Bélgica, na Itália, na Espanha e em Portugal. Foi três vezes ganhador do prêmio HQ Mix e duas vezes agraciado com o Angelo Agostini.

Leia um trecho de Estórias Gerais aqui: http://www.lojaconrad.com.br/trecho/estorias_p1.asp

Título:
Estórias Gerais

Autores:
Flavio Colin (arte) e Wellington Srbek (roteiro)

Preço:
R$ 24,00

Editora:
Conrad

Número de páginas:
160 páginas