Archive for the ‘prêmio’ Tag

Clube Silêncio é o destaque cinematográfico de 2007

A produtora foi escolhida pela Prefeitura de Porto Alegre/Secretaria Municipal de Cultura, para receber o Prêmio Joaquim José Felizardo, na área do Cinema. A premiação acontece na próxima segunda, dia 14, as 20:30 no Teatro Renascença.

O prêmio destaca aqueles que deram relevante contribuição para a cultura de Porto Alegre. Junto com a Clube, estão nomes como Luiz Augusto Fischer, Grupo Ói Nóis Aqui Traveiz e Nico Nicolaiewsky (ver lista completa abaixo)

A Clube Silêncio está há 3 anos fazendo barulho em festivais, salas de cinema, na tv, nas universidades e na internet.

Neste período foram lançados 6 curtas, 3 médias para a TV, 3 oficinas de roteiro, diversas mostras de cinema, como o projeto CINEMA DE SENTIDOS e 2 longas lançados em 2008.

Pelos seus filmes, a produtora recebeu mais de 50 prêmios e foi selecionada para importantes festivais internacionais, como ROTERDÃ, SUNDANCE, HAVANA e VIÑA DEL MAR.

No ano de 2007 a Clube estreou seus dois primeiros longas. Em abril, nos cinemas e festivais, foi a vez de CÃO SEM DONO, de Beto Brant e Renato Ciasca. Em setembro AINDA ORANGOTANGOS, de Gustavo Spolidoro teve sua premiére nos festivais de Rio e São Paulo. O filme segue em janeiro para Roterdã e entra em cartaz ainda no primeiro semestre de 2008.

Em nova parceria com a RBS TV, a Clube Silêncio produziu O LOUCO, seu terceiro filme sobre um escritor gaúcho, neste caso, Dyonélio Machado. A produção teve direção de Fabiano de Souza. A grande novidade é que o projeto virará um longa a ser lançado ainda em 2008, chamado A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA.

Em 2007 a Clube rodou ainda o curta DOIS COVEIROS, de Gilson Vargas, o curta TELEFONE DE GELO, de Fabiano de Souza e deu início à produção de HÓSPEDES, curta dirigido por Cristiane Oliveira, que será filmado agora em janeiro.

E muito mais barulho está previsto para 2008: lançamento do AINDA ORANGOTANGOS, A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA, DOIS COVEIROS e HÓSPEDES e pré-produção do longa PARADEIRO, de Gilson Vargas.

Balada das 2 mocinhas de Botafogo leva primeiro lugar no AXN Film Festival

Curta foi assistido por mais de onze milhões de espectadores

O curta de ficção Balada das 2 mocinhas de Botafogo, produção da Mixer com direção de João Caetano Feyer e Fernando Valle, é o vencedor da segunda edição do prêmio AXN Film Festival 2007 – promovido pelo canal a cabo AXN. O filme estava competindo com outros nove finalistas de países como Argentina, Colômbia, Chile, Costa Rica e México. Destinada à exibição dos melhores curtas-metragens recentes de toda a América Latina, o festival contou com um júri formado por personalidades reconhecidas do cinema e do audiovisual, como Juan José Campanella, Fernando Gaitán, Antonio Cuadri, Fito Páez, Gabriel Ripstein, Leonardo Padrón, Bruno Barreto, Ricardo Elías e Christopher Zalla. No dia em que foi exibido, o curta foi assistido por mais de 11 milhões de pessoas em toda a América Latina.

Baseado no poema de Vinícius de Moraes, escrito na década de 50, Balada das 2 mocinhas de Botafogo marca a estréia do jovem diretor e sócio da Mixer, João Caetano Feyer, na dramaturgia. Com 13 minutos de duração, o filme narra a história de duas irmãs que buscam no sexo e na noite carioca uma resposta para escapar do vazio de suas vidas. No elenco: Alexandre Borges, Fernanda Boechat, Guta Stresser e Malu Valle.

Trajetória de Balada das 2 mocinhas de Botafogo

Em 2007, o curta ganhou prêmio de melhor fotografia no 11º Festival de Cinema Brasileiro em Miami.  Recebeu ainda cinco prêmios no Primeiro Plano 2007 – Festival de Cinema de Juiz de Fora, realizado em novembro último.  Em 2006, pela escolha do público, foi o melhor filme no Festival Internacional de São Paulo. No mesmo ano, também conquistou o prêmio Unibanco e a 6º edição do Festival de Goiânia, além de levar o prêmio da crítica no Festival Cine e Vídeo, de Vitória e participar da seleção de diversos festivais nacionais, como o Festival do Rio, e de internacionais.

Medo da verdade recebe dois prêmios da National Board of Review

A National Board of Review of Motion Pictures, a respeitada associação norte-americana de críticos de cinema, concedeu dois prêmios ao filme Medo da verdade. Amy Ryan recebeu a estatueta de melhor atriz coadjuvante e Ben Affleck foi premiado como o melhor diretor estreante – o que só aumenta as chances de o filme ser lembrado nas indicações ao Globo de Ouro e ao Oscar. Exibido tanto no Festival do Rio quanto na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Medo da verdade é baseado na obra do escritor Dennis Lehane (“Gone Baby Gone’’). Affleck volta a Boston (cidade onde cresceu) para contar a história de Amanda, uma menina de 4 anos que é seqüestrada dentro da própria casa. O protagonista da trama é vivido por Casey Affleck, irmão caçula do diretor, que interpreta Patrick Kenzie, um detetive particular contratado, em parceria com a namorada, Angie (Michelle Monaghan), para investigar o paradeiro da menina. O longa-metragem será distribuído pela Walt Disney Studios Motion Pictures International no Brasil, onde seu lançamento está previsto para janeiro ou fevereiro de 2008. Em junho, o filme deve chegar às locadoras.